A+ / A-

OE 2018. Mais dinheiro para a saúde

14 out, 2017 - 00:42

Trata-se de um aumento de 360 milhões de euros face ao orçamento de 2017.
A+ / A-

Veja também:


O Ministério da Saúde terá para gastar no próximo ano 10.289 milhões de euros, o que representa um aumento de 2,4% face ao estimado para 2017 e um aumento de 4,4% face ao orçamentado para este ano.

Segundo a proposta de Lei do Orçamento do Estado para 2018 entregue na sexta-feira pelo Governo na Assembleia da República, trata-se de um aumento de 360 milhões de euros face ao orçamento de 2017.

“Este aumento de despesa no Programa Saúde tem associado uma previsão de aumento de investimento de 16,1%”, refere o documento.

A maior parte da despesa da área da saúde vai para a aquisição de bens e serviços, com um peso de 55,3%, aqui incluindo-se as compras de medicamentos e meios complementares de diagnóstico e terapêutica, bem como os encargos com as parcerias público-privadas.

Já as despesas com pessoal representam 38,4% de toda a despesa consolidada, totalizando 3.951,2 milhões de euros, a que acrescerá em 2018 um reforço proveniente de dotação centralizada com o descongelamento das carreiras.

No universo das entidades públicas requalificadas, onde se incluem 39 entidades públicas empresariais como hospitais ou unidades locais de saúde, vai haver um crescimento de 4%, correspondendo a 206,2 milhões de euros.

Na proposta de Orçamento do Estado para 2018 entregue na sexta-feira à noite pelo Governo no Parlamento, o executivo prevê um défice orçamental de 1% do Produto Interno Bruto (PIB) e um crescimento económico de 2,2% no próximo ano.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.