O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

550 quilómetros a pé em 34 dias. Assim se conquista uma Câmara

02 out, 2017 - 12:23 • Olímpia Mairos

O PS e Nuno Vaz foram protagonistas de uma das surpresas da noite autárquica: Chaves. O PSD liderava há 16 anos.
A+ / A-

O novo presidente da Câmara de Chaves, Nuno Vaz, aponta a campanha eleitoral "feita porta a porta” como uma das bases do sucesso da campanha do PS no concelho.

Chaves protagonizou um dos resultados-surpresa das Autárquicas de domingo, com a vitória socialista. Ainda a festejar o resultado, Nuno Vaz explica à Renascença que a sua campanha chegou a muitos milhares de flavienses e permitiu “o virar a página, o acordar, o mudar para avançar” para “construir de novo, encontrar outros caminhos, outras soluções”.

“Quisemos conhecer as pessoas, quisemos que as pessoas nos conhecessem a nós. Quisemos conhecer o território, as ruas da cidade, as mais centrais, as mais afastadas. Quisemos conhecer as aldeias todas, as suas vielas, as ruelas, as mais tratadas e as mais descuidadas”, conta Nuno Vaz.

O líder socialista em Chaves, 47 anos, percorreu com os seus apoiantes “mais de 550 quilómetros a pé”, em “34 dias”, para “acordar Chaves”, notando que “ninguém ficou indiferente à campanha de proximidade”.

“Fiz 550 quilómetros a pé, durante a campanha toda, em 34 dias, foi fisicamente muito exigente, mas as pessoas souberam avaliar e decidir”, reforça.

A motivação foi "conhecer as pessoas e comunicar com as pessoas, permitir que as pessoas pudessem interpelar, dizer o que sentiam e o que gostavam que a Câmara fizesse por elas. Foi um momento para partilhar essas preocupações com essas pessoas”.

Nuno Vaz promete “não defraudar as expectativas” e garante que vai ser “um presidente próximo”.

“Esse será necessariamente um marco, um sinal sempre presente”, assegura, explicando que “a gestão autárquica não faz sentido se não for próxima das pessoas”.

“Estamos a falar de uma instituição que é a primeira porta de interacção com as pessoas. Não faz sentido ter uma câmara municipal e um presidente se não for um presidente de Câmara próximo dos cidadãos, conhecendo-os, tentando ajudar a resolver os seus problemas”, conclui Nuno Vaz.

O Partido Socialista ganhou a Câmara de Chaves com 51.43%. O PSD, que liderou a autarquia nos últimos 16 anos, ficou pelos 34.95%.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • vitor
    02 out, 2017 abobora-doce 13:33
    Agora que ganhaste muitos desses lugares só´lá voltas novamente ao fim de quatro anos
  • Santos
    02 out, 2017 Chaves 13:01
    Agora a ver se faz como o anterior Presidente estragar o que está feito e também podia por uma rede de transporte de proximidade nas aldeias mais próximos da cidade num raio de 10 km já que nessas existem muitos idosos com reformas de miséria que ás vezes gastam um dinheirão em Taxi para ir ás consultas no centros de saúde e hospital