A+ / A-

António Costa apela ao voto na “festa da democracia”

01 out, 2017 - 10:37

O secretário-geral do PS votou por volta das 9h50, na colectividade da União de Freguesias de São João das Lampas e Terrugem, concelho de Sintra.
A+ / A-

O secretário-geral do Partido Socialista apelou, este domingo, ao voto, em Fontanelas, concelho de Sintra, e considerou que as eleições autárquicas são "a maior festa da democracia", permitindo escolher o poder mais próximo das comunidades.

"Estas eleições autárquicas são as eleições que são a maior festa da democracia, implicam uma mobilização cívica sem comparação, são quase meio milhão de cidadãos que se disponibilizaram para concorrer aos diferentes cargos nas autarquias locais", afirmou António Costa.

O também primeiro-ministro, que falava à saída da Sociedade Recreativa e Desportiva de Fontanelas e Gouveia, votou, acompanhado pela mulher, Fernanda Tadeu, cerca das 09h50, na mesa número 6 da colectividade da União de Freguesias de São João das Lampas e Terrugem.

Para o dirigente socialista, que esperou cerca de 10 minutos para exercer o seu direito de voto, este ato eleitoral implica "uma dedicação cívica muito grande" e os portugueses devem "participar e votar na escolha" dos seus candidatos.

"O apelo que tenho a fazer a todos é que participem neste acto eleitoral, para escolher quem preside às nossas juntas de freguesia, quem dirige os nossos municípios, as assembleias municipais, as câmaras", frisou o chefe do Governo.

As urnas abriram às 08h00 e encerram às 19h00 no continente e na Madeira (uma hora mais tarde nos Açores, devido à diferença horária) e são chamados a votar cerca de 9,4 milhões de eleitores para escolher os autarcas de 308 câmaras municipais e de 3.092 freguesias.

Esta é a 12.ª vez que os portugueses vão eleger os seus autarcas em 43 anos de democracia.

CDS, PSD, PS, Bloco e PCP unidos no apelo ao voto
CDS, PSD, PS, Bloco e PCP unidos no apelo ao voto
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.