O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Cobertura do SIRESP vai ser reforçada

15 set, 2017 - 20:34

Este é um dos pontos que consta das Grandes Opções do Plano do Governo.
A+ / A-

Um reforço da cobertura do SIRESP, a ampliação do projecto de georreferenciação e a implementação do SIRESP ST, para uma localização exacta das ocorrências, constam das Grandes Opções do Plano do Governo.

No documento, a que a agência Lusa teve hoje acesso, consta o reforço da resiliência, redundância e cobertura do Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP), a ampliação do projecto de georreferenciação e a implementação do SIRESP ST, que permitirá uma localização exacta das ocorrências.

Está também previsto o reforço das comunicações de dados da Rede Nacional de Segurança Interna e da cibersegurança no Ministério da Administração Interna.

Na área da segurança interna, o Governo aponta como prioridade estratégica para a próxima legislatura a modernização e capacitação das Forças e Serviços de Segurança (FSS).

Em 2018, as orientações relativas às políticas de segurança interna, de controlo de fronteiras, de protecção e socorro e de segurança rodoviária, são concretizadas através da continuidade da implementação da nova geração de Contratos Locais de Segurança.

Está também prevista uma melhoria nos Programas Especiais de Policiamento de Proximidade e na implementação de várias medidas de segurança escolar, a desenvolver no âmbito do Grupo Coordenador da Escola Segura e uma revisão do Regime Jurídico dos Conselhos Municipais de Segurança e ainda acções de formação conjunta e partilhada entre FSS.

O Governo tem ainda prevista a aquisição de 1.900 novos veículos para as FS, entre 2018 e 2021.

No âmbito da protecção e socorro, o documento refere a intenção de haver um reforço da capacidade de monitorização e gestão dos riscos, dos sistemas de alerta e de aviso às populações e do envolvimento dos cidadãos para consolidar o sistema de protecção civil e da criação de comunidades resilientes a catástrofes.

O Governo quer também aumentar a capacidade e a resposta operacional através das Equipas de Intervenção Permanente, do empenhamento do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS), da Força Especial de Bombeiros (FEB) e das Forças Armadas.

Neste âmbito, está prevista a valorização dos bombeiros como agentes de protecção civil, implementando novas regras de financiamento das AHBV bem como o cartão social do bombeiro e os novos regimes jurídicos referentes aos estatutos e carreiras dos bombeiros profissionais e dos bombeiros voluntários.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Bela
    16 set, 2017 Coimbra 10:15
    Reforçada? Pelo modo de proceder, neste país à beira-mar plantado, em vez de um reforço da cobertura de georreferenciação e outras condições, acredito que seja mais uns quantos gestores e respectivos encargos. Sempre que há interesses... tudo se faz ou todos aparecem. Embora pareça não ter ligação, temos o caso de Pedrogão Grande, tal como ontem se pode ouvir no programa da RTP 1 "Sexta às 9".
  • bobo
    15 set, 2017 lisboa e outra 21:43
    compraram gato por lebre. quem lucrou ? As PPP a preço de ouro
  • bobo
    15 set, 2017 lisboa e outra 20:44
    Envolveu muita massa ............................