O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Manuel Heitor. “Não se pode arredar pé do combate às praxes"

15 set, 2017 - 19:49 • Rosário Silva

Governante defende “processos positivos de integração pela cultura, pelo desporto, por práticas que identificam o ensino superior como espaço de tolerância e de diálogo aberto”.
A+ / A-

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior quer fazer das praxes académicas uma “rotina” positiva da integração dos estudantes.

“Há sensibilização, mas não é suficiente e este é um combate que temos todos de encarar”, afirmou Manuel Heitor.

Aos jornalistas, de visita à Universidade de Évora, o ministro realçou a existência em todo o país de “processos positivos de integração pela cultura, pelo desporto, por práticas que identificam o ensino superior como espaço de tolerância e de diálogo aberto”.

Um caminho que é necessário continuar a trilhar, tanto mais que “estas boas práticas” existem a par das “práticas negativas, humilhantes” por isso não se pode “arredar pé deste combate para dar a volta às praxes”.

Nas declarações efectuadas, o governante afirmou a necessidade de “coordenar as boas práticas de integração de estudantes” e fazer delas “uma rotina normal” incluindo todos os agentes como “autarquias, empresas, museus, instituições sociais”.

A Universidade de Évora é uma das instituições de ensino superior que integra o movimento Exarp (praxe ao contrário) que apoia iniciativas que promovam a liberdade e emancipação dos jovens e a sua melhor integração no ensino superior.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.