O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Quénia. Confrontos violentos entre apoiantes e adversários do Presidente

13 ago, 2017 - 18:38

Kenyatta foi reeleito na sexta-feira para um segundo mandato, mas a oposição não aceita os resultados.
A+ / A-

Há violentos confrontos em Mathare, na periferia de Nairobi, entre apoiantes do Presidente Uhuru Kenyatta, e grupos ligados ao opositor Raila Odinga. A informação está a ser avançada pela France Presse.

Os confrontos começaram quando os luo [etnia de Odinga] queimaram barracas de comerciantes kikuyu [da etnia de Kenyatta], o que resultou numa batalha campal entre os dois grupos.

Pelo menos um homem foi severamente espancado. Elementos da Cruz Vermelha tiveram dificuldades para chegar ao local, tal a violência dos confrontos.

Esta situação surge depois da visita de Odinga a Mathare para ver a família de uma rapariga de 9 anos que foi morta a tiro no sábado de manhã neste bairro, quando se encontrava na varanda do quarto andar de um imóvel.

Anteriormente, Odinga deslocou-se ao bairro de Kibera, onde disse, diante de milhares de apoiantes entusiastas, que "não aceita os resultados das eleições presidenciais", que diz terem sido "roubados" por Kenyatta, o chefe de Estado cessante.

"Ainda não perdemos. Não vos abandonaremos", afirmou pedindo aos seus apoiantes para que não vão trabalhar na segunda-feira devido à presença massiva de forças de segurança.

Kenyatta foi reeleito na sexta-feira à noite para um segundo mandato de cinco anos como Presidente do Quénia, com 54,27% votos contra os 44,74% recolhidos por Odinga, segundo os resultados oficiais, que a oposição contesta e qualifica como uma "farsa" eleitoral.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.