O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Despedidas inglórias. Bolt lesiona-se e Farah foi segundo

12 ago, 2017 - 22:28

Dois supercampeões deixam as pistas sem os triunfos que procuravam nas últimas corridas da carreira.
A+ / A-

Usain Bolt lesionou-se na última corrida de 100 metros da carreira e diz adeus à carreira da pior maneira.

Na final dos 4x100m dos Mundiais de Atletismo, que se disputam em Londres, Bolt ainda recebeu o testemunho mas lesionou-se em plena corrida e ficou no chão.

A prova acabou por ser vencida pelo Reino Unido à frente de Estados Unidos e Japão.

O homem mais rápido do mundo, recordista mundial dos 100m e 200m, fechou a carreira com 14 medalhas em mundiais e oito ouros olímpicos (mais uma que foi retirada na secretaria devido a doping de um colega das estafetas).

Quem também se despediu da alta competição foi o britânico Mo Farah, mas sem o ouro nos cinco mil metros. O vencedor acabou por ser o etíope Muktar Edris, terminando o campeoníssimo Farah com a prata no segundo posto.

[em actualização]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Jorge Pereira
    12 ago, 2017 Almada 23:29
    Vou deixar de comentar aqui, pois há censura!
  • Jorge Pereira
    12 ago, 2017 Almada 22:58
    Estes mundiais de atletismo têm revelado muita coisa, vejamos: 1) O fim da velocidade jamaicana, com Bolt a sair pela porta pequena. 2) Thomson a perder inexplicavelmente os 100 metros. 3) Os tempos paupérrimos obtidos na velocidade! Estaremos perante controlos antidoping mais avançados? 4) Gatlin (o eterno dopado), Harrison (suspensa ainda este ano), Farah (de quem muito se fala - treina nos EUA), os sobre humanos sprints finais dos atletas americanos (quer da velocidade e da velocidade prolongada, quer do fundo e meio fundo). Estaremos perante uma nova geração de doping? 5) Lavillevie volta a desiludir, tal como Allison Felix, (nos 400 m) e os lançadores de peso americanos. 6) As marcas tão fracas no peso masculino e feminino. 7) Não se chegou aos 90 m no dardo (Roller uma desilusão)! 8) E atenção, que o Japão é favorito para ganhar os 4 X 100 m masculinos em Tóquio (e eu já tenho vindo a dizer isto ainda antes da medalha de bronze dos mundiais de hoje. Fora os velocistas que correram hoje, há outros dois com maior margem de progressão). 9) O Quénia a perder medalhas atrás de medalhas no fundo! 10) Nelson Évora mostra que velhos são os trapos! 11) E boa prova para os marchadores... acredito que venha aí uma ou mais medalhas.