O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Mais fruta, verduras e leite para as escolas portuguesas

31 jul, 2017 - 13:29

A União Europeia aumentou o orçamento para a distribuição de alimentos saudáveis nas escolas. O excesso de peso afecta 22 milhões de crianças na UE.
A+ / A-

Portugal vai receber 5,5 milhões de euros da União Europeia para distribuir mais fruta, verduras e leite nas escolas. A nova resolução tem efeito a partir do próximo ano lectivo.

Do orçamento total, 3,3 três milhões de euros são destinado à distribuição de frutas e verduras e 2,2 milhões à distribuição de leite.

Os apoios dão prioridade aos alimentos frescos. Os produtos transformados - como sopa, compotas de fruta, sumos, iogurtes e queijo - podem também ser distribuídos, se essa opção for aprovada pelas autoridades sanitárias nacionais.

A adição de açúcar, sal e gordura não está autorizada, excepto se as autoridades nacionais de saúde permitirem quantidades limitadas.

A medida surge no seguimento da aprovação do novo regime escolar de distribuição de fruta, verduras e leite da União Europeia, aprovado esta segunda-feira, no Parlamento Europeu.

No total, vão ser disponibilizados 250 milhões de euros para a distribuição destes alimentos nas escolas dos países europeus.

O apoio financeiro está disponível para todos os 28 Estados-membros, mas a participação é opcional. Até ao momento todos os países indicaram querer participar.

Os Estados-Membros podem optar por adquirir “produtos locais ou regionais, produtos biológicos, circuitos de abastecimento curtos, benefícios ambientais e regimes agrícolas de qualidade”, lê-se no comunicado da Representação da Comissão Europeia em Portugal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.