A+ / A-

PSD recua e retira proposta de alteração do regime jurídico das federações desportivas

12 jul, 2017 - 11:25 • Henrique Cunha

Fontes do PSD disseram à Renascença que a proposta não merece o consenso dos partidos, o que leva o partido a abdicar da iniciativa, que iria ser votada na quinta-feira.

A+ / A-

O PSD decidiu retirar a sua proposta de alteração do regime jurídico das federações desportivas que tirava os sectores da arbitragem e da disciplina à Liga de Clubes, concentrando-os na órbitra da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Fontes social-democratas disseram à Renascença que a proposta não merece o consenso dos partidos, o que leva o PSD a abdicar da iniciativa.

A proposta, que iria ser votada na quinta-feira, foi fortemente contestada pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional, cujo presidente, Pedro Proença, chegou mesmo a acusar o PSD de ter uma "agenda obscura".

A primeira reacção da Liga surgiu em comunicado, logo que foi revelada a intenção de retirar aos clubes, para entregar à direcção da FPF, a elaboração dos regulamentos de arbitragem e disciplina. O organismo presidido por Pedro Proença afirmava mesmo que se estava perante “um golpe infantil e covarde”.

No essencial, a proposta do PSD propunha uma alteração à redacção do Artigo 29.º do regime jurídico das federações desportivas, com o intuito de transferir a elaboração dos regulamentos de disciplina e arbitragem, que é detida pela Liga de Clubes, à Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Essas são duas das três competências ainda na posse da Liga, além do regulamento de competições, o que significaria acabar quase na totalidade com as tarefas do organismo com sede no Porto, e do qual fazem parte os 33 clubes que disputam os campeonatos profissionais.

A proposta social-democrata, que contava com o apoio do CDS, foi apresentada na comissão parlamentar que tutela o Desporto, a chamada Comissão de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto, mas a Renascença apurou que a polémica e contestação causadas levaram, já esta quinta-feira, o partido a retirar a proposta.

Assim, o texto que amanhã será votado já não incluirá a polémica alteração que, na essência, implicava a retirada à Liga de praticamente todos os seus poderes no futebol profissional.

FPF diz "não"

A FPF não vê necessidade de alterações legislativas que passem para o organismo a competência de elaborar os regulamentos de arbitragem e disciplina das ligas profissionais. A reacção é de uma fonte oficial do organismo à agência Lusa.

A mesma fonte oficial assegurou não ver razão para alterar a legislação sobre a partilha de responsabilidades com a Liga de Clubes, que, actualmente, obriga a que os regulamentos de disciplina e arbitragem sejam ratificados pela FPF, que pode aprová-los ou não.

A FPF, por várias vezes, não aprovou regulamentos apresentados pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional, como o caso do sorteio dos árbitros ou, mais recentemente, sobre a proibição de cigarros eletrónicos nas áreas técnicas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria Pinto
    12 jul, 2017 Rio Tinto 14:26
    Não é com alterações de artigos que o futebol passa a ser limpinho...limpinho! A geringonça é outra, só não vê quem não quer.
  • Miguel Brito
    12 jul, 2017 Viana do Castelo 13:42
    Entre partidos já se sabia que não haveria consensos. Nunca há. Por isso, isso é desculpa. O problema do PSD é que nem entre eles se entendem. Esquecem-se que nem todos os deputados do PSD foram ao convívio com o Luís Filipe Vieira. Há vida para além do benfica e dos seus desejos.
  • GUIMA
    12 jul, 2017 Cascais 13:05
    Este PSD é formidável, cada cavadela cada minhoca, primeiro dizem uma coisa, depois já é outra. Não conheço a proposta, mas se calhar até tinha razão de ser, porque essa coisa da Liga julgar em casa própria não cabe na cabeça de ninguém.
  • Jose
    12 jul, 2017 Lisboa 12:54
    Era mais uma brilhante ideia retirada de um certo "manjar", entendi......
  • Antonio
    12 jul, 2017 Vila Franca de Xira 12:38
    Esta noticia faz-me lembrar aquele velho ditado " QUEM NÃO TEM QUE FAZER, FAZ COLHERES".
  • estes PSDs
    12 jul, 2017 lx 12:24
    são uns pandegos! Movimentam-se apenas pela intriga e pela critica do bota abaixo e de vez em quando ao apresentarem alguma proposta, têm de a retirar por ter sido feita à socapa e não pelas razões que invocam! Se assim fosse, teriam de retirar algumas das poucas que têm apresentado sobre outras matérias e que não reúnem o consenso de outras forças partidárias! Desculpas de mau pagador!
  • Omss
    12 jul, 2017 Mafra 12:20
    Há alguma coisa que neste psd de PC que não seja no mínimo sombreado??????
  • Serafim Pinheiro
    12 jul, 2017 Porto 12:19
    Vivemos HOJE mesmo num pais de faz de conta. Vergonhoso demais o que esta gente que nos representa faz, falta de consenso ou PRESSÃO dos lobbys intalados?
  • os xico-espertos
    12 jul, 2017 lis 12:17
    Tiros nos pés é com eles e depois arranjam desculpas esfarrapadas!