|
A+ / A-

PSD quer tirar regulamentos de arbitragem e disciplina à Liga

12 jul, 2017 - 09:38

A intenção é dar os poderes à FPF. A proposta foi apresentada de surpresa, "golpe" que a Liga classifica de "infantil" e "covarde". Decisão será votada na quinta-feira.

A+ / A-

O PSD propôs, esta terça-feira, uma alteração à redacção do Artigo 29.º do regime jurídico das federações desportivas, com o intuito de transferir a elaboração dos regulamentos de disciplina e arbitragem, que é detida pela Liga de Clubes, à Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Essas são duas das três competências ainda na posse da Liga, além do regulamento de competições, o que significaria um esfumar quase total das tarefas do organismo com sede no Porto, de que fazem parte os 33 clubes que disputam os campeonatos profissionais.

Os sociais-democratas, apoiados pelo CDS-PP, apresentaram, de surpresa, a proposta de alterações ao Artigo 29.º na comissão parlamentar que tutela o Desporto, a chamada Comissão de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto. Foi proposta, ainda, alteração ao Artigo 24.º da Lei de Bases da Actividade Física e do Desporto, de modo a evitar contradições legais.

Uns contra, outros indecisos

Numa reunião que tinha como único objectivo apreciar e votar o Projecto de Lei 507/XIII/2.ª, "Defesa da transparência e da integridade das competições desportivas", que visa o combate ao "doping", viciação de resultados e atitudes racistas e xenófobas, o PSD surpreendeu ao propor que os Artigos 24.º e 29.º passassem a ser redigidos da seguinte forma:

"A elaboração e a aprovação dos regulamentos de arbitragem e disciplina das competições desportivas profissionais competem à direcção da federação desportiva na qual a liga profissional se insere, podendo a liga profissional formular, fundamentadamente, propostas de emenda ou de aditamento."

A votação da proposta foi adiada, a pedido do PCP e do Bloco de Esquerda, alegando tempo insuficiente para estudar os dossiers em causa. A votação está, assim, marcada para esta quinta-feira, pelas 13h30, sendo a decisão anunciada uma hora mais tarde.

Em declarações ao jornal "O Jogo", António Cardoso, deputado do PS e um dos dois socialistas do Grupo de Trabalho Desporto, composto por um total de sete deputados, revelou que o PS votará contra, por considerar que "não é o momento oportuno para esta proposta, nem contribui para a essência do projecto, a transparência das competições desportivas".

Liga reage a "infantilidade" e "cobardia"

A Liga já reagiu em comunicado, no seu site oficial, "pela forma encapotada como o processo foi gerido, com uma proposta de alteração legislativa, em sede de Comissão Parlamentar, que põe em causa o edifício do futebol profissional, assim como a gestão e credibilidade das sociedades desportivas que representa".

"Esta alteração não tem, sequer como preocupação ulterior, a defesa da transparência e integridade das competições desportivas, que são o objecto deste diploma legal", pode ler-se. "Mais não é do que uma regulamentação 'à medida', que visa [...] confiscar às sociedades desportivas profissionais a capacidade de se auto-regularem."

A Liga queixa-se de que se trata, "muito claramente, da emissão de um atestado de incompetência" a um conjunto de sociedades desportivas profissionais que, argumenta, deram já provas de "uma extraordinária capacidade para colocar de parte os interesses próprios em homenagem ao bem comum, de protecção das competições profissionais e do desporto nacional".

O organismo acusa, ainda, o PSD de "infantilidade" e considera "lamentável a forma quase clandestina como a proposta está a ser apresentada", reprovando "o facto de tais alterações propostas não terem sido debatidas aquando da presença dos seus representantes, naquela Comissão e aparecerem de forma covarde à última da hora para votação".

Esclarecendo que a Liga e as Sociedades Desportivas "repudiam veementemente esta proposta e apelam ao bom senso" dos partidos e do Governo relativamente a uma proposta "que mais não representa que o fim do futebol profissional em Portugal", o organismo promete que lutará "até ao limite" para que os direitos que adquiriu por lei não lhe sejam retirados "a cobro da Defesa da transparência e da integridade".

Fonte oficial também já sublinhou, a "O Jogo", que "a FPF está contente com o poder que tem".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Adriano Ferreira
    20 jul, 2017 Aveiro 17:34
    Dar os poderes da liga à FPF? Porquê? A liga é o conjunto dos clubes que praticam o futebol, e a FPF é só paus-mandados. Assim nunca se acaba com a corrupção, porque Fernando Gomes já tem suspeitas que cheguem por cima dele.
  • Serafim Pinheiro
    12 jul, 2017 Porto 12:14
    Está tudo bem, está sempre tudo bem, até o exército é roubado, mas está tudo bem, no entanto vêm agora estes falar em “infantilidade”, organizar duas competições basta para a liga, só representa acabar com algum “boys” a mais. Concentrar tudo na federação “JÁ” e mesmo assim é tarde, pois pessoas sérias e decentes não podem dizer que ESTÁ TUDO BEM como está.
  • isidoro foito
    12 jul, 2017 elvas 11:51
    Axo muito bem pode ser que assim acabe a vergonhosa corrupção e favores feitos pelos árbitros a alguns clubes, neste momento a FPF é uma ditadura pior que no tempo de Salazar, quem dizer alguma coisa contra o benfica é multado ou suspenso, é vergonhoso
  • Paulo Santos
    12 jul, 2017 Albufeira 11:20
    Se for para acabar de vez com a corrupção que existe há muitos anos no futebol e para acabar com a pouca vergonha que se vê nos canais que passam os dias a discutir o estado do futebol, tudo bem, se for para passar o tacho para outros, mais vale ficar como está...
  • Dos PSDs
    12 jul, 2017 port 11:17
    Pouco ou nada se espera senão actividade sombria e à socapa!...