O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Carrie Fisher tinha vestígios de cocaína, heroína e ecstasy

19 jun, 2017 - 18:56

Relatório da autópsia foi conhecido esta segunda-feira, seis meses depois da morte da actriz conhecida pelo papel de Princesa Leia, da saga "Guerra das Estrelas".
A+ / A-

A actriz norte-americana Carrie Fisher tinha vestígios de cocaína, heroína e ecstasy no organismo quando morreu, subitamente, em Dezembro de 2016, indica o relatório da autópsia divulgado esta segunda-feira.

O documento produzido pelos médicos legistas não conseguiu aferir o efeito que o "cocktail" de drogas teve no organismo de Carrie Fisher, conhecida por ter interpretado o papel de Princesa Leia, da saga “Guerra das Estrelas”.

O Instituto de Medicina de Los Angeles anunciou na sexta-feira que Carrie Fisher tinha morrido de apneia do sono e de outras causas.

A actriz, de 60 anos, morreu a 27 de Dezembro do ano passado, quarto dias depois de ter sofrido uma paragem cardíaca durante um voo entre Londres e Los Angeles.

O relatório da autópsia revelado esta segunda-feira mostra que a actriz terá consumido cocaína 72 horas do ataque.

Carrie Fisher tinha um historial de consumo de cocaína e também sofria de distúrbio bipolar.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.