O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

84 milhões de crianças arriscam a vida todos os dias a trabalhar

12 jun, 2017 - 19:29

Os números são revelados pelas Nações Unidas e por organizações não-governamentais no Dia Mundial contra o Trabalho Infantil.
A+ / A-

Cerca de 168 milhões de crianças trabalham em todo o mundo, das quais 84 milhões fazem trabalhos em que colocam as suas vidas em risco. Os números são revelados pelas Nações Unidas e por organizações não-governamentais esta segunda-feira, Dia Mundial contra o Trabalho Infantil.

A agricultura é o sector com o maior número de crianças que exercem trabalho infantil (98 milhões), seguindo-se o sector de serviços (54 milhões) e da indústria (12 milhões). Este ano, o alerta vai para o impacto dos conflitos e desastres naturais no trabalho infantil.

Um dos exemplos que a ONG World Vision destaca é o caso de uma criança síria refugiada no Líbano que vende tecidos na rua para ajudar a sua família. Os refugiados sírios que vivem na Jordânia e no Líbano não estão legalmente autorizados a trabalhar, o que os obriga a fazerem tarefas por salários muito baixos, com os seus filhos a renunciarem à educação para procurar trabalhos para ajudar as suas famílias.

O destaque da Plan International vai para os dez milhões de crianças – 67% das quais meninas – trabalham no serviço doméstico em condições de escravidão, escondidas nas vivendas dos seus empregadores sem que estas actividades possam ser controladas.

A mesma organização recorda que em muitos países da América Latina e de África o trabalho doméstico e infantil são aceitáveis a nível social e cultural, pelo que pede aos Governos e aos legisladores que incluam nas suas prioridades “o objectivo de limitar o trabalho doméstico e garantir o acesso à educação”.

“A educação é a melhor solução para se lutar contra o trabalho infantil”, argumenta a Educo, uma ONG que desenvolve projectos contra o trabalho infantil no Bangladesh e que procura romper o círculo de pobreza em que as crianças desse país vivem.

Mundo do espectáculo gera preocupação

Em Portugal, a preocupação da Confederação Nacional de Acção Contra o Trabalho Infantil (CNASTI) vai para o mundo das artes e do espectáculo.

“Temos algumas dúvidas que não haja situação de exploração de crianças”, revela Fátima Pinto, coordenadora-executiva da organização, em declarações à Renascença.

“Temos conhecimento de que há imensas crianças a trabalhar. Temos nós e tem a sociedade inteira, uma vez que é um trabalho muito bem aceite por toda a gente”, defende a coordenadora da CNASTI, que aponta o dedo à fiscalização.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • otário cá da quinta
    13 jun, 2017 coimbra 22:44
    Ó Sr. VICTOR SILVA. Já lá vão muitos anos (EU JÁ ESTOU PRÓXIMO DOS OITENTA ), que ouvi da boca de um empresário ( Já depois do 25 de abril de 1974 ), dizia ele numa conversa : HOJE JÁ NEM ADIANTA MANDAR ESTUDAR OS NOSSOS FILHOS. HOJE JÁ QUALQUER UM MANDA ESTUDAR OS FILHOS . Repare - ele disse: QUALQUER UM ! O SR. por acaso concorda que : O filho do doutor, nem que seja burro, tem de ser DOUTOR ? 'O filho do empresário tem de ser empresário ? O filho do bêbedo tem de ser bêbedo ? O filho do ladrão tem de ser ladrão ? ETC.ETC:. NÃO ESTAMOS EM MONARQUIA, em que o filho do rei, mesmo que fosse um atrasado mental tinha de ser rei ! Tenho a 4ª. classe e como desde criança tive que trabalhar, entendo que a cultura não faz mal a ninguém e não se nota que ocupe espaço que faça falta para outras coisas. Mande estudar os seus filhos, mas que não seja para andarem de gravata, gravatas são para os políticos e estes até as deixam em casa, quando nos vêm engraxar para lhes arranjarmos tacho.
  • otário cá da quinta
    13 jun, 2017 coimbra 22:26
    Parabéns Sr. empresário ALBERTO !!!!!!!!!!!!!! OITENTA E QUATRO MILHÕES DE CRIANÇAS QUE TODOS OS DIAS SÃO ESCRAVISADAS ! Ó sr. ALBERTO, por acaso também tem algumas destas crianças ? Basta que cada uma destas crianças dê de lucro UM EURO POR DIA AOS CHULOS EXPLORADORES DESTAS CRIANÇAS, são - REPARE bem - SÃO OITENTA E QUATRO MILHÕES QUE POR DIA ENRIQUECEM QUEM ESCRAVIZA ESTAS CRIANÇAS. Eu também comecei a trabalhar em criança, andava na escola primária e dei serventia a pedreiros nas férias, porém, nunca me tornei patrão, porque para se ser patrão tem que se ter um DOM, que é o de SER-SE EXPLORADOR DA HUMANIDADE, porque não se tendo este DOM, jamais se será rico. NÃO SOU CONTRA OS RICOS. Sou sobretudo contra aqueles que foram empregados por conta de outrem e que refilavam e atacavam aqueles para quem os exploravam e depois por uma questão de habilidade, ou por lotaria se tornaram também exploradores, CHULOS. Já agora, porque mandou estudar os seus filhos ? Por outro lado, se tem 43 anos de idade, portanto há 21 anos que é patrão, exportador, sem dúvida que é um génio para conseguir dinheiro fêmea. Exportador, funcionários que saibam escrever Inglês e Francês, porque o Sr. não sabe, porque nem PORTUGUÊS sabe e portanto, CREIO QUE SERÁ APENAS UM GALO A CANTAR !
  • Alberto
    13 jun, 2017 Barcelos 07:33
    Começei com 13 anos a trabalhar o meu pai deu-me uma bicicleta velha e uma marmita às costas andava 12 km para chegar ao trabalho ,hoje digo obrigado pai por me ter ensinado a trabalhar,com 22 anos começei o com a minha mulher por conta própria hoje com 43 anos tenho funcionários e faço exportação e não preçizei de tantos estudos como os tive que dar aos meus filhos
  • Victor Silva
    13 jun, 2017 Porto 00:52
    É lamentável nos dias de hoje em que vocês ainda não descobriram todas aquelas crianças que trabalham como atores de novelas e outras será que não veem isso como trabalho também ...analisem primeiro todas aquelas crianças se por vezes o trabalho façam de eles alguém nas suas vidas em vezes de andarem a roubar aquilo de que muito lhes custou na suas vidas ... Teria muito para lhes dizerem , pensem nisto tenham uma boa noite .. tenho dois filhos adoráveis uma menina de 12 um menino de 9 , o que mais me deixa doente psicológicamente é de os verem tantas horas dentro de uma escola , Hà pouco o meu filho me disse Papá estou farto de me ver dentro de uma prisão é só grades a minha volta estou de raiva de ninguém ver isso onde andam os parques para nos brincar o Tempo ...E eu me pergunto a mim mesmo Nós Pais não andamos a fazer dos Nossos Filhos autênticas cobaias , de que serve tantos estudos se por vezes um pequeno curso lhes dá uma oportunidade melhor na Suas Vidas
  • Maria
    12 jun, 2017 Porto 23:11
    Não percebo: Temos conhecimento e tem a sociedade inteira .... e ninguém, faz nada?? Que "ter conhecimento" tão estranho! Se quem pode não age, como é que se pode mudar a situação??
  • 12 jun, 2017 22:15
    Inacreditável!!