A+ / A-

Melodias medievais abrem "Memórias Musicais no Palácio de Sintra"

02 jun, 2017 - 10:00

Todos os concertos realizam-se na sala dos cisnes do Palácio da Vila, em Sintra, cuja fundação moura remonta ao século XI.
A+ / A-

O ensemble de música medieval La Reverdie abre esta sexta-feira o ciclo “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra”.

“O Livro das Maravilhas – Uma viagem musical pelas aventuras de Marco Polo” é o título do recital de hoje, na sala dos Cisnes do palácio, com um programa que visa “uma combinação exótica, contrapondo, aos instrumentos do Ocidente medieval, o ‘kamancheh’ persa e a tabla indiana”, explicou o maestro Massimo Mazzeo, director artístico deste ciclo.

No sábado, o agrupamento de origem italiana de Claudia e Liavia Caffagni apresenta o programa “Carlos Magno – Músicas para uma lenda”, recital em que aborda as várias facetas de Carlos Magno (742-814), imperador dos Romanos e rei dos Lombardos e dos Francos e fundador da dinastia Carolíngia, que nos sete séculos seguintes dominou o xadrez político europeu.

Para o maestro Massimo Mazzeo, esta é uma “oportunidade de ouvir composições e histórias que têm Itália como ponto de irradiação, directo e indirecto”.

Referindo-se ao ciclo, Mazzeo afirma que tem por objectivo “dar voz a uma programação que terá de entrar mais a fundo naquela que é uma verdadeira ‘geografia de sons’, procurando recriar a unicidade do continente europeu: um caleidoscópio de culturas sempre em devir, um cruzamento de povos, estéticas e tradições”.

No dia 8 de Junho, a italiana Mara Galassi, que a organização deste ciclo apresenta como especialista em harpa renascentista, apresenta-se acompanhada pelo flautista português António Carrilho, pelo cravista italiano Enrico Baiano, que interpreta cravo e órgão positivo, e pelo violetista e tangedor espanhol Patxi Montero, que toca viola bastarda.

Os quatro músicos apresentarão o programa “Harmonia ao crepúsculo – Um serão nos séculos XV e XVI”.

A proposta é “transportar o espectador para um universo de sensações em ambiente cortesão, variando entre a alegria e o sofrimento, o amor e a inconstância, a virtude e o pecado”.

Nos dias 16 e 17 de Junho, os concertos são protagonizados pelo agrupamento coral De Labyrintho, dedicado ao repertório pré-barroco, em particular o repertório italiano da Renascença, que interpreta “Threnos – As lamentações do profeta Jeremias”, com obras de Marc’Antonio Ingegneri, Claudio Monteverdi, nascido há 450 anos, e “O sonho da Graça", para "a arte sublime" do flamengo Josquin Desprez.

“Reencontros – Memórias musicais no Palácio de Sintra”, uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra-Monte da Lua, que gere o palácio nacional, e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal, encerra a terceira temporada de música.

Todos os concertos realizam-se na sala dos cisnes do Palácio da Vila, em Sintra, cuja fundação moura remonta ao século XI, sendo o “único paço real medieval português que chegou íntegro aos nossos dias”, segundo a PSML.


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.