O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

​Costa garante: vem aí a muito desejada alternativa à EN14

19 mai, 2017 - 16:07

Governo assume decisão de construir uma variante alternativa à artéria que atravessa os concelhos da Maia, Trofa e Famalicão.
A+ / A-

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou esta sexta-feira a construção da variante alternativa à Estrada Nacional 14 (EN14), artéria que atravessa os concelhos da Maia, Trofa e Vila Nova de Famalicão, uma reivindicação de mais de 20 anos.

“O senhor ministro do Planeamento e das Infra-estruturas já assumiu a decisão de construir a variante [alternativa] à EN14, neste primeiro troço, que servirá o Concelho da Maia até à Via Diagonal e ao Nó da Carriça, é uma decisão que está tomada e é uma decisão que irá ser implementada”, afirmou durante a inauguração do Complexo Desportivo do Instituto Superior da Maia (ISMAI).

O chefe do Governo revelou que, dado os fundos estruturais terem desconsiderado o investimento das vias rodoviárias, a obra irá ser feita com “recursos nacionais”, correspondendo assim às necessidades das populações.

Este anúncio por parte de António Costa é um motivo de “grande alegria” para o presidente da Câmara da Maia, o social-democrata Bragança Fernandes, que classificou o dia de “histórico”.

“Esta é uma grande notícia. A Maia é o primeiro exportador da Área Metropolitana do Porto, o segundo da zona Norte do país e o quarto a nível nacional”, afirmou.

O autarca lembrou que o concelho tem “muita, muita, muita” exportação e as acessibilidades ao Porto de Leixões e ao aeroporto, através da EN14, são “péssimas”.

Bragança Fernandes, que abandona a liderança de 15 anos da autarquia em Outubro, após as eleições, espera que as obras começam ainda antes disso.

“Espero que as obras ainda arranquem comigo. Pelo que me disse o primeiro-ministro o concurso público está pronto a ser lançado, assim espero que ele cumpra o que disse e lance a empreitada o mais rapidamente possível”, reforçou.

Esta obra não é só boa para a Maia, mas para as pessoas, para os empregadores e para os exportadores que precisam de chegar rapidamente ao Porto de Leixões e ao aeroporto.

“Nós temos bons acessos do centro da Maia a esses locais, nomeadamente Porto de Leixões e aeroporto, mas para quem vem de Famalicão e passa pela Trofa esse acesso é péssimo”, vincou.

A EN14 é a via de acessos a várias zonas industriais onde existem empresas com forte vocação exportadora.

A estrada é atravessada diariamente por cerca de 30 mil veículos, nomeadamente pesados, sendo um dos principais problemas os estrangulamentos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Jorge Cunha
    20 mai, 2017 Ribeirão 09:20
    Já ouvi esta promessa várias vezes , primeiros ministros presidentes de Câmara ,ministros etc...mas nao passa de falsas promessas.
  • Joaquim Domingues
    19 mai, 2017 Ermesinde 23:54
    Aleluia !
  • Aquilino Rocha Pinto
    19 mai, 2017 Resende 21:09
    Sr Alberto Tele, não tem razões para reclamar. Pelo menos São Pedro do Sul é servido por uma estrada nacional até à capital de Distrito. Moro em Resende e quando quero ir a Viseu, faço mais de 25 km de estradas Municipais até a A24 a "rasgar a serra de Montemuro. Com gelo, neve e nevoeiro é um castigo circular num autêntico "labirinto". Nesta situação o Sr Primeiro Ministro deveria resolver o assunto de um Concelho que atualmente é o mais isolado da região norte e centro do país. Faça uma viagem e verifique se estou a mentir. No interior despovoado não interessa fazer investimento é melhor caminharmos para um deserto daqui a 20 anos é o que irá acontecer, pois as pessoas imigram ou fogem para o litoral à busca de melhores condições de vida.
  • treta
    19 mai, 2017 penafiel 19:20
    Cambada de Aldrabõess ó prometem o IC 35 Castelo de Paiva-Penafiel já foi prometido quando caiu a ponte de Castelo de Paiva e já por várias vezes que iria começar a sua construção... é tudo bluff....venham os votos isso é que interessa.
  • Rui
    19 mai, 2017 18:54
    Se querem diminuir o transito na EN14 e na EN13, basta retirar ou reduzir as portangens na A41 na A28 e na A3. Tudo estradas a circular a Maia, e que devido ás portagens astronómicas colocam o transito todo nas EN13 e EN14. O Costa não está a ser bonzinho, está é a ver mais uma fonte de rendimento... a somar á A28, a A41 e a A3, vamos ter agora a AXX. É só a somar.... Devem pensar que nos enganam...
  • Alberto de Lima Tele
    19 mai, 2017 S. Pedro do Sul 18:02
    Sr. Primeiro ministro os doentes que são transportados para o Hospital de Viseu através da EN16 S. Pedro do Sul - Viseu ou as ambulâncias vão devagar devagarinho para não acabarem com o doente, se forem á média velocidade normal os doentes chegam mal ao hospital, se chegarem lá com vida. Não é necessário fazer uma auto-estrada mas era necessário e urgente fazer uma rectificação da dita estrada, no inverno tem 2 e 3 acidentes por dia, mas para a minha terra não há nada para ninguém, também não se passa nada por aqui, anda tudo desempregado, tenho 70 anos já não me vou chatear muito com isto
  • Joao
    19 mai, 2017 Aveiro 18:01
    Amanhã já se pode passar lá o costa estalou os dedos
  • Rui
    19 mai, 2017 Braga 17:26
    Só acredito depois da mesma se iniciar, as promessas ao longo dos últimos 30 anos são muitas e cumpridas foram nenhumas!