|
A+ / A-

Inglaterra

Há um vigilante da gramática à solta nas ruas

05 abr, 2017 - 20:21

O homem procura erros gramaticais nos letreiros das lojas da cidade de Bristol. As gralhas são corrigidas com uma ferramenta que inventou.

A+ / A-

Um auto-intitulado "vigilante linguístico" percorre as ruas de Bristol, em Inglaterra, durante a noite para corrigir os letreiros das lojas. O erro gramatical mais frequente da cidade é a colocação de apóstrofes.

O homem - que faz questão de manter a sua identidade anónima - confessou à televisão BBC que esta actividade nocturna começou há 13 anos.

Considerado o "Banksy da pontuação", o primeiro letreiro que corrigiu foi num edifício estatal que tinha, desnecessariamente, duas apóstrofes colocadas.

O método de correcção é a colocação de adesivos por cima dos erros.

O vigilante construiu um "Apostrophiser", uma ferramenta de madeira, com cerca de 2,5 metros de comprimento, que lhe permite por os adesivos nos letreiros.

Uma escada também é utilizada pelo vigia, a fim de não tocar nas vitrinas das lojas.

Quanto às correcções poderem ser consideradas crime, o vigilante linguístico mantém-se tranquilo. O verdadeiro crime, diz, é ter “todas estas apóstrofes erradas nas lojas e garagens”, promovendo os "pontapés" na gramática.

Durante o dia, o zelador da língua de William Shakespeare trabalha como engenheiro e dedica-se à família.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.