O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Nova esperança no combate ao Alzheimer

28 mar, 2017 - 00:33

Proteína ephexin5 pode estar na raiz das perdas de memória associadas à doença, segundo cientistas da Universidade John Hopkins, em Baltimore.
A+ / A-

Cientistas norte-americanos investigam uma proteína que pode retardar ou impedir o aparecimento de Alzheimer. É uma descoberta que traz uma nova esperança para o combate à doença.

A investigação mostra que a proteína ephexin5 parece ser elevada nas células cerebrais de doentes de Alzheimer. Ora, após várias experiências em ratos com a doença, os cientistas da Universidade de Medicina Johns Hopkins, em Baltimore, concluíram que a remoção dessa proteína evita que os animais desenvolvam perdas de memória – uma característica da doença.

Num relatório, agora publicado, os investigadores afirmam que a descoberta pode ser um avanço no desenvolvimento de medicamentos para a proteína e assim prevenir ou tratar os sintomas.

Em diversas experiências no passado, investigadores concluíram que o excesso da proteína está associado à doença de Alzheimer e procuraram perceber se a redução iria impedir os efeitos da doença.

Agora, segundo este estudo, bloqueando a produção da proteína em ratos verificou-se que desenvolviam as placas características da doença, mas não perdiam as sinapses. E também não perdiam a memória

Perante estes resultados, os cientistas de Baltimore admitem agora que bloquear a proteína pode retardar ou interromper a doença.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.