A+ / A-

Modelo do Conselho de Finanças Públicas pode ser revisto, diz deputado do PS

03 mar, 2017 - 21:22

Para Eurico Brilhante Dias, o organismo liderado por Teodora Cardoso "cria pânico e desconfiança na execução orçamental" e deve fazer uma reflexão sobre a forma como tem actuado.
A+ / A-

O modelo do Conselho de Finanças Públicas (CFP), presidido pela economista Teodora Cardoso, está sempre em questão e pode ser revisto pelo Parlamento, afirma o deputado socialista Eurico Brilhante Dias, em declarações à Renascença.

O organismo independente foi criado pela “Assembleia da República, no quadro do acompanhamento das finanças públicas e no quadro até de recomendações da União Europeia” e “o modelo está sempre em questão”, refere o parlamentar.

Para Eurico Brilhante Dias, deve ser o Conselho de Finanças Públicas a fazer uma reflexão sobre a forma como tem actuado.

“O Conselho de Finanças Públicas deverá fazer uma reflexão profunda sobre a forma como tem feito previsões e não pode funcionar como um organismo que cria pânico e cria desconfiança na execução orçamental, não contribuindo até para a execução orçamental. E isso é um elemento a rever”, sublinha o deputado do PS.

O comentário de Eurico Brilhante Dias acontece na sequência da entrevista desta semana de Teodora Cardoso à Renascença e ao “Público”, em que a presidente do Conselho de Finanças Públicas disse que o défice de 2016 foi alcançado como que por milagre, com medidas que não podem ser repetidas.

Teodora Cardoso. “Até certo ponto, houve um milagre” na redução do défice
Teodora Cardoso. “Até certo ponto, houve um milagre” na redução do défice
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • antonio silva
    06 mar, 2017 porto 20:55
    Este deputado foi o escolhido para vir falar das declarações das dra. Teodora Cardoso, e como tal, cumprindo ordens, com ameaças. Este aprendiz de economista, na falta de argumentação credível, provar o contrário do que afirmou a Presidente do Conselho de Finanças Públicas, vem dizer, para além das ameaças, que deve ser alterado o referido Conselho. Agora na perspectiva deste Brilhante, sem lustro, o que encomoda deve ser alterado ou extinto, como dizem os outros. E sobre este conjunto de opiniões de toda a esquerda unida o que diz o sr. Presidente, em defesa da transparência e do direito de opinião, rien de rien.
  • Gabriel Moreira
    06 mar, 2017 Lisboa 18:02
    Acabei de ler os 6 volumes do "Estaline" de Simon Sebag Montefiore publicado pelo Expresso.Lá era muito pior. Quando se discordava de alguém mandavam-nos passar pela Lubianca. Depois, com um pouco de sorte iriam para um goulag. Por cá, na terra dos brandos costumes, por enquanto limitam-se a pedir a demissão dos discordantes.
  • 06 mar, 2017 15:40
    Os comentários que acabei de ler são de uma "pobreza" indescritível ! A Dra Teodora falhou...falhou e só tem que o reconhecer; nada mais.
  • Acácio de Oliveira
    05 mar, 2017 Alentejo 21:38
    Oh Senhor Deputado Brilhante : A análise e o comentário emitido pela Senhora Presidente do Conselho das Finanças Públicas está correcto . Já o seu comentário , conclusões e " ameaça " de medidas a tomar , mais parecem o pré anúncio de " medidas disciplinares" a aplicar.... . Oh Sr. Deputado, não pretenda simular que é mais competente e mais responsável na matéria em causa , que a Senhora Presidente do Conselho de Finanças Públicas .
  • Acácio de Oliveira
    05 mar, 2017 Alentejo 17:47
    Oh Senhor Deputado Brilhante : A análise e o comentário emitido pela Senhora Presidente do Conselho das Finanças Públicas está correcto . Já o seu comentário , conclusões e " ameaça " de medidas a tomar , mais parecem o pré anúncio de " medidas disciplinares" a aplicar.... . Oh Sr. Deputado, não pretenda simular que é mais competente e mais responsável na matéria em causa , que a Senhora Presidente do Conselho de Finanças Públicas .
  • Carlos Rocha
    04 mar, 2017 Porto 17:53
    Quando não lhes agrada, com o pretexto de uma reorganização saneiam!.....Afinal pouco diferem da doutrina dos comunistas, expressa ontem por aquele deputado, que dizia que a Presidente do Conselho de Finanças Públicas devia ir para o desemprego por ter emitido uma opinião que desagradou à "geringonça/PS/PCP/BE"....A DITADURA está aí mesmo à porta!....Por onde anda a democracia com que enchem boca?....
  • Rui Camelo
    04 mar, 2017 Beja 13:01
    Quem se mete com o PS leva.Já ouvi isto uma vez por homem que deixou cair pontes morreram dezenas de pessoas.Agora temos este"brilhante" ressonante voz do PCP que se refugia nesta cabecinha não brilhante e eis que a ameaça chega.Ou falas o que te encomendámos ou vais embora. Métodos tipo hitleriano próprio dos fracos.Se algo se concretizar desta ameaça quero ver o que os media e PR tratam o caso.Degrau a degrau estamos a caminhar para a ditadura da geringonça.O perigo espreita e temos que estar atentos.Já chegaram os quarenta anos de 75.
  • jota santos
    04 mar, 2017 c branco 09:44
    ah pois, convém alguém da mesma cor do governo... assim em vez de criticas é só elogios. ó Eurico vai puxar o lustro ao brilhante que está cada vez mais apagado.
  • Enzo
    04 mar, 2017 Lx 09:35
    A democracia é uma palavra muito usada e abusada pela esquerda. Mas é uma prática com que convive muito mal a mesma esquerda.
  • Elm
    04 mar, 2017 Angra do Heroismo 00:39
    Quando a "Tia" Teodora criticava o governo anterior e, fê-lo muitas vezes, só faltava baterem palmas! Aquilo é que era! Agora que aparecem algumas críticas, que até nem têm sido muito fortes, já vêm dizer que é preciso alterar o sistema e que causam pânico, etc. Tenham paciência!