O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-
Interactivo

Fátima em números. 5,3 milhões participaram nas celebrações em 2016

13 fev, 2017 - 18:39 • Infografia: Rui Barros

Vêm sobretudo de Espanha, Itália ou Polónia. Mas também dos distritos de Leiria, Lisboa e Porto. Preferem os meses de Outubro e Setembro para visitar o "altar do mundo". O Santuário de Fátima traça o perfil do peregrino, com base nas inscrições oficiais de 2016.
A+ / A-

No último ano, o Santuário de Fátima contabilizou quase 700 mil peregrinos, mais 100 mil do que em 2015. Um em cada seis era estrangeiro e integrou uma das 2.710 peregrinações de grupos organizados. O Serviço de Peregrinos do Santuário considera, para esta contabilidade, grupos registados com mais de 10 elementos.

Na impossibilidade de avançar um número de visitantes global, o Santuário contabiliza também o número de pessoas que participam em missas e celebrações.

Em 2016 foram quase 5,3 milhões participantes em cerca de 10 mil celebrações, isto é, menos um milhão e meio do que no ano anterior.

[Nota: Esta infografia é melhor visualizada em dispositivos com mais de 5 polegadas. Em tamanhos inferiores, experimente colocar o ecrã na horizontal]

Por Fátima passaram peregrinos de 85 nacionalidades diferentes. No top 10 de países estão Espanha (32.387), Itália (13.292), Polónia (11.395), Estados Unidos (8.264), Ucrânia (6.719), Brasil (5.906), Indonésia (5.151), Coreia do Sul (4.014), Índia (2.754) e França (2.305).

O mês de Outubro é o preferido dos estrangeiros que peregrinam até Fátima. Já os portugueses preferem o mês de Setembro.

Em 2016, quase um milhão de pessoas visitou os vários espaços museológicos do Santuário, foram acreditados 400 jornalistas e registados 157 investigadores ou projectos de investigação em curso sobre a temática de Fátima.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.