A+ / A-
​Falar Claro

Vera Jardim. PS deve "forçar a nota" da Europa para marcar diferenças com BE e PCP

04 jan, 2017 - 13:45

Vera Jardim sublinha que PS tem “tradição europeia” e deve defendê-la. Já Morais Sarmento antecipa problemas na coligação que apoia o Governo caso Costa siga o conselho de Vera.
A+ / A-
Vera Jardim pede reforço da estratégia europeia do PS em 2017
Vera Jardim pede reforço da estratégia europeia do PS em 2017

A pressão à esquerda obriga o PS a reforçar a sua estratégia programática no plano europeu. É o recado deixado na Renascença por José Vera Jardim, antigo ministro da Justiça, em defesa da “tradição europeia do PS" que, sublinha, "nunca esteve em causa".

"Apesar dos partidos à sua esquerda que assinaram os acordos com o PS não estarem de acordo com isso, a verdade é que o PS insiste, por exemplo, que a dívida não pode ser discutida da maneira e nos tempos em que esses partidos quereriam. Espero que seja possível manter essa estratégia", afirma Vera Jardim no programa "Falar Claro".

O histórico socialista lembra que "o governo é do PS" e assegura que o PS "sempre teve uma estratégia europeia", pelo que espera que seja possível manter esse rumo "com os obstáculos dos partidos que apoiam o PS e os que vêm de fora".

"É evidente que o facto dos partidos que apoiam o Governo não terem exactamente a mesma estratégia europeia – bem pelo contrário e com diferenças de um face ao outro – implica um reforço e uma afirmação dessa estratégia europeia por parte do PS em tudo o que vá fazendo. Se deve forçar essa nota? Tem que forçar", insiste Vera Jardim, após analisar o apelo contido na mensagem de Ano Novo do Presidente da República.

Na sua intervenção, Marcelo Rebelo de Sousa definiu 2016 como o ano da "gestão do imediato, da estabilização política e da preocupação com o rigor financeiro" e exige que 2017 seja o ano da "gestão a prazo e da definição e execução de uma estratégia de crescimento económico sustentado".

Os comentadores do "Falar Claro" elogiaram o "bom senso" da mensagem presidencial.

Um dilema para Costa

Para Nuno Morais Sarmento, as opções a tomar pelo PS vai ter sempre um custo a contabilizar. O social-democrata considera que a estratégia preconizada por Vera Jardim implica instabilidade na coligação de esquerda. Em alternativa, sem "consequências das diferenças" entre os partidos, não haverá dificuldade acrescida na plataforma que apoia o Governo, com o custo de não se avançar em nenhuma "direcção estratégica fundamental"

"Até agora não tivemos nada de estratégico, [o Governo esteve] apenas a responder impulsos e a fechar pontos de um acordo. Agora, chega a altura de dizer ao que vêm. Ou o PS diz ao que vem, e vamos ter problemas na coligação, ou não temos problemas na coligação, porque o PS não diz ao que vem e então é o país que se ‘lixa’”, conclui o antigo ministro do PSD.

Temos de crescer "muito mais", diz Marcelo na mensagem de Ano Novo
Temos de crescer "muito mais", diz Marcelo na mensagem de Ano Novo

legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.