|
A+ / A-

Vigília pela Paz para celebrar os valores do diálogo, solidariedade e cooperação

16 dez, 2016 - 17:10

O evento decorre este sábado no Mercado de Culturas em Arroios. É promovido pela Cáritas Diocesana de Lisboa.

A+ / A-

Promover e celebrar os valores da paz, do diálogo, da cooperação e da solidariedade, entre outros, é o propósito de uma vigília pela paz, organizado pela Cáritas de Lisboa.

Henrique Pinto, coordenador do evento, admite que “mesmo em tempo de paz, faz todo o sentido celebrá-la e muito mais quando ela escasseia e rareia e vivemos uma situação de crise e conflito”.

Para este responsável, “haja o que houver, haverá sempre um grupo de pessoas não desistentes, quase obstinadamente que dizem que a cooperação, a solidariedade, a hospitalidade, o diálogo e a paz são incondicionais e não desistem de forma nenhuma. E como o Papa Francisco tem repetidamente dito, aquilo que tanto hoje nos aflige não é a violência pela violência, mas o diálogo e, ainda que muitas vezes tenha que ser interrompido, ele tem que ser reassumido, reabraçado e nunca abandonado”.

Esta Vigília pela Paz é antecedida de uma caminhada que começa às 17h deste sábado perto da Igreja de são Domingos, junto às Portas de Santo Antão. E tem como destino o Mercado de Culturas em Arroios onde vai decorrer este evento entre as 19h e as 21h.

A vigília tem no seu centro a Lanterna do Diálogo e da Paz que será levada por jovens de diferentes tradições religiosas.

Henrique Pinto admite a possibilidade de que esta Lanterna possa ter um lugar fixo na cidade de Lisboa que poderia muito bem ser a Praça do Martim Moniz, por tudo quanto ela representa e significa.

Uma lanterna mais pequena será entregue a cada comunidade representada, como expressão de um compromisso publicamente assumido a favor do diálogo e da paz. “Que ela seja uma recordação viva de que pertencemos a uma comunidade bem maior do que a nossa, de que aquilo que nos separa ou pareça separar é aquilo que de facto nos enriquece e nos transforma”.

Participam diversas confissões religiosas, igrejas cristãs, associações, movimentos laicos e todos aqueles que se identificarem com esta causa.

Vão ainda estar presentes o presidente da Câmara de Lisboa, o vereador do pelouro dos Direitos Sociais, o presidente da Comissão da Liberdade Religiosa e o Alto Comissariado para as Migrações, entre muitos outros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.