A+ / A-

Os muitos cargos de José Manuel Durão Barroso

08 jul, 2016 - 16:16 • Matilde Torres Pereira

Primeiro-ministro, ex-líder do PSD, ex-militante do MRPP, presidente da Comissão Europeia. Desde universidades a associações ou clubes exclusivos, Durão Barroso já passou um pouco por todo o lado. Agora, é "chairman" da Goldman Sachs, o maior banco de investimento do mundo.
A+ / A-

José Manuel Durão Barroso, o novo presidente não-executivo da Goldman Sachs, um dos maiores bancos de investimento do mundo, é há vários anos uma estrela em fulminante ascensão.

Na política portuguesa foi militante do MRPP, líder do Partido Social-Democrata e posteriormente primeiro-ministro de Portugal.

De São Bento voou directamente para o "trono" da Europa para assumir a presidência da Comissão Europeia, cargo que exerceu durante dez anos. Foi a rampa de lançamento para depois ser convidado para dezenas de funções e cargos diferentes, tanto em universidades prestigiadas, como a de Princeton, como a de instituições globais como a UEFA ou mesmo o exclusivo grupo de Bilderberg, que hoje coordena.

O Corporate Europe Observatory (CEO, na sigla não desprovida de ironia), que analisa as ligações entre as empresas e os seus lóbis ao processo legislativo europeu, contou-os e chegou aos 22 cargos assumidos pós-Bruxelas.

O CEO publicou uma lista de alguns dos cargos assumidos por Durão Barroso nos últimos anos, alguns deles carimbados pela própria Comissão Europeia.

  • Membro do Institute of Public Policy de Belgrado
  • Chairman da UEFA Foundation for Children
  • Professor visitante da Universidade de Princeton
  • Membro do conselho consultivo da McDonough Shool of Business, da Universidade de Georgetown.
  • Membro do conselho internacional da Ópera de Madrid
  • Membro da administração do The Europaeum
  • Membro do Steering Group das Conferências de Bilderberg
  • Actividades no Fórum Económico Mundial
  • Professor honorário do Instituto Politécnico de Macau
  • Membro do conselho consultivo do Women in Parliament
  • Membro honorário da administração da Fundação Jean Monnet para a Europa
  • Seminários e palestras na Universidade Católica de Leuven
  • Professor visitante da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa)
  • Eventos com o Speakers Bureau in Londres e Washington
  • Professor visitante da Universidade de Genebra
  • Seminários e palestras na Universidade de Genebra
  • Professor visitante do Graduate Institute of International and Development Studies de Genebra
  • Professor visitante na Universidade da Califórnia
  • Co-Presidente honorário do Centro Europeu para a Cultura
  • Presidente honorário do comité honorário da European Business Summit
  • Presidente emérito do Teneo Leadership Institute da Universidade de Cornell
  • Presidente da Fundação do Palácio das Belas Artes de Bruxelas
  • Professor convidado no Instituto Liechtenstein
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • A.R
    23 jul, 2016 Lousada 23:51
    Este doutor é um travesti.
  • Iriarte Esteves
    09 jul, 2016 Estoril 14:17
    Recebe agora os dividendos por ter sido o mordomo da Base das Lajes.
  • António Costa
    09 jul, 2016 Cacém 09:36
    Estes cargos não aparecem de repente.....São as pessoas que os permitem. É o preço que se paga de se estar APENAS atento às novelas e ao futebol.
  • barsanulfo
    08 jul, 2016 alcains 23:18
    Alto lá! Há um outro, não contabilizado, que exerceu com forte empenho e competência. Foi empregado de mesa, nos Açores, e teve a feliz e honrosa possibilidade, de servir cafés e "Aguardente Velhíssima Mulher de Capote" .de São Miguel, aos seus patrões George W. Bush, Tony Blair, e José Maria Aznar. No final, limpou a mesa (lambeu!), e teve um generosa gorjeta. Foi a décima ou décima quinta escolha para presidente da Comissão Europeia ( ninguém com dignidade aceitou a nomeação!), lugar criado para ex-maoistas arrependidos e reconvertidos.Um cherne putrefacto!
  • Iriarte Esteves
    08 jul, 2016 Estoril 21:42
    Recebe agora os dividendos por ter sido o mordomo da Base das Lajes.
  • Isaura
    08 jul, 2016 Lisboa 21:41
    SÓ JOSÉ SÓCRATES conhece melhor o ex-Comissário....
  • SALAZAR
    08 jul, 2016 LX 21:19
    AQUI HÁ CENSURA. MEGA-CORRUPTO DURÃO, ARNAUT, RELVAS E OUTROS AMIGALHAÇOS. DEVIAM ESTAR PRESOS.
  • Assunção Palma
    08 jul, 2016 Belas 21:17
    HEHEHEHE... Qta azia vai por aqui nestes comentários!!! Isso é inveja ou dor de cotovelo? Não li um único comentário de um comentador que pensasse antes de escrever que tudo o que aqui está escrito é só palha para encher curriculum. Então vocês acham que esta pessoa recebe ordenados destes sítios todos? São nomes pomposos que traduzidos em dinheiro não dão grande coisa, a não ser um ou outro caso raro. São nomes pomposos que aumentam um curriculum, mas que na realidade só enchem linhas no papel. Mtas das coisas que estão aqui são convites para palestras ou visitas, que lhe fizeram enqto Pres. da Comissão Europeia e homenagens ou condecorações que por boa educação e finesse lhe fizeram. Xiiii... alguém acredita que este tivesse 101 ordenados? Não têm cabeça para pensar que a imprensa exagera mtas vezes, para vender? Vão à net ver o curriculum do Francisco Louçã e vejam o que é um curriculum bem recheado e não é preciso nomes pomposos a cargos que atribuem sem remuneração e por delicadeza.
  • Ana
    08 jul, 2016 Amadora 21:06
    É o Costa do PSD, mas so porque provavelmente o PS nao o quis, é que do MRPP para o PSD é mesmo falta de crenças pessoais seja no que for excepto amor ao dinheiro e poder, que como sabemos o MRPP nao lhe conseguia dar.
  • josé Costa
    08 jul, 2016 Colares 20:48
    Nos cargos públicos adquirem conhecimentos , que muito interessam aos privados. Deveriam ficar inibidos de desempenharem esses cargos. Deveria era ser julgado em Aia, pelo que ajudou na destruição do Iraque, cujas consequências estão bem à vista.