O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Bloco quer que Governo ameace Bruxelas com referendo

26 jun, 2016 - 13:52 • Eunice Lourenço , Paulo Ribeiro Pinto

Catarina Martins lança o desafio ao Governo em caso de sanções por défice excessivo e assume que quer governar Portugal.
A+ / A-
Bloco quer que Governo ameace Bruxelas com referendo
Bloco quer que Governo ameace Bruxelas com referendo

Se a Comissão Europeia insistir em sanções sobre Portugal, o Governo deve chegar à próxima cimeira europeia com uma ameaça na manga: o referendo. A ideia é defendida pela porta-voz do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, no encerramento da convenção do partido, em Lisboa.

"Se a Comissão tiver a iniciativa gravíssima de aplicar sanções, a Comissão Europeia declara guerra a Portugal", afirmou, acrescentando que se, “ainda por cima”, quiser usar as sanções para fazer pressão para o Orçamento do Estado de 2017 e impor aumentos de impostos, então o Governo deve chegar à cimeira de terça e quarta-feira e anunciar que "está disposto a pôr na ordem dia um referendo contra a chantagem" que a porta-voz do Bloco considera que Bruxelas está a fazer.

Catarina Martins, no sábado, tinha chegado à convenção do Bloco a dizer que o seu partido não embarcava em propostas de referendo na sequência da decisão do Reino Unido, mas acabou, assim, por atirar a questão referendária para cima da mesa, ou melhor para cima do Governo português que o Bloco ajuda a suportar no Parlamento.

"Virá esse dia do referendo e virá breve", disse a líder bloquista, que sai reforçada desta convenção.

Já no sábado, o líder parlamentar do Bloco de Esquerda tinha abordado as eventuais sanções a Portugal, exigindo uma posição musculada perante as instituições europeias.

Catarina Martins começou o seu discurso final pelas questões europeias e terminou a deixar bem claro que quer ver o Bloco reforçado.

"Queremos ser poder, queremos ser Governo", assumiu, fazendo várias exigências para o Orçamento do Estado de 2017, que o Governo terá de negociar com os seus parceiros de esquerda.

Entre elas, um aumento mínimo de 5% no salário mínimo, o aumento do indexante das prestações sociais e o aumento real das pensões.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Petervlg
    27 jun, 2016 Trofa 09:19
    está Catarina Martins, julga que nós somos como a Inglaterra, estes podem-se dar ao luxo de sair da zona euro, mas nós necessitamos da zona euro como os pobres necessitam de pão. não se esqueça que são os países ricos a financiar Portugal
  • DEMAGOGIA DO BE
    27 jun, 2016 lisboa 06:28
    O Bloco de Esquerda no fundo não quer referendo nenhum! isto é pura demagogia. O que o Bloco pretende é usar a questão do referendo, para chantagear Bruxelas, e assim evitar sanções por incumprimento das metas do défice, salvando desta forma a Geringonça de tal vexame, e as consequentes repercussões nos resultados das próximas eleições! Esta é que é a verdade!... Tudo o resto é como já citei.."PURA DEMAGOGIA"!
  • AC
    26 jun, 2016 lx 16:52
    Este grupelho do BE está doido? ou acha que os portugueses são todos parvos e atrasados mentais? Rua com esta esquerda demagógica mentirosa populista anti europeia. Vale menos de 10% e já acha que faz ameaças? Está tudo parvo? E os media vão atrás e protegem este grupelho como abelhas atrás de mel Chega de populismo e propaganda falsa.Os portugueses são pro europa e anti BE
  • abrao avelino gumane
    26 jun, 2016 maputo 16:33
    Ameaçar com referendo, neste momento, pode ter melhores resultados que uma ameaça com armas químicas que Bush e Blair terão visto no Iraque. É disso que a UE precisa para aprender a respeitar a democracia e soberania dos países que a constitui. A UE vive de medo, ameaças e golpes anti-democráticos. Os britânicos tomaram uma decisão inteligente. Quando o medo é o único incentivo que se oferece para continuidade na UE, então a Sair da Moderna URSS do Ocidente, é o único caminho sensato. Espero que os outros europeus também decidam livremente se querem ou não permanecer na Moderna URSS do Ocidente.
  • C
    26 jun, 2016 SEIXAL 16:24
    ESTA ACTRIZ NÃO VAI A LADO ALGUM
  • desabafo
    26 jun, 2016 Porto 16:17
    a brincar com o fogp
  • José Seco
    26 jun, 2016 Lisboa 15:59
    O povo tá na miséria! O povo não quer esta europa! Façam referendo e confirmarão! A realidade cada vez mais miserável acabará por obrigar a fazer um referendo em todos os países!
  • Arpiba
    26 jun, 2016 Santarém 15:47
    Tá tudo doido!
  • AJose
    26 jun, 2016 Lr 15:39
    Tomaram eles que a republicada bananas abandonem a zona euro! Era um alivio!
  • Manuel Victor
    26 jun, 2016 Entroncamento 15:34
    Esta Catarina é tola....diga lá ao 1º ministro que o BE e o PCP nomearam ,pois o Costa não foi eleito pelo Povo Portugues,que faça o referendo .A Catarina está querer enganar o Portugueses ? Ela devia saber que o Reino Unido tem economia e dinheiro para fazer o que quiser e não precisa pedir esmolas como Portugal,que é um País falido e de ladrões graudos...!O Reino Unido sainda não tem que estar a injectar dinheiro na UE para os Paises tesos e que os esquerdistas tem vindo a derreter. Se Portugal saisse da UE onde ia buscar dinheiro para pagar reformas ordenados,em especial aos POLITICOS e DEPUTADOS/AS que nada fazem e só dizem asneiras ? Nas próximas eleições o PS vai buscar ao BE novamente os deputados que fugiram e a Catarina vai pedir esmola !