|
A+ / A-

Autoridades procuram gangue armado após assalto em Sintra

28 fev, 2016 - 17:04

PSP, GNR e PJ procuram assaltantes que fugiram após atacarem carrinha de valores. Uma pessoa morreu.

A+ / A-

Um homem foi mortalmente baleado por um grupo de assaltantes em fuga pouco depois de um assalto a uma carrinha de transporte de valores em Lourel, no concelho de Sintra.

De acordo com a informação disponível, terá sido vítima de uma tentativa de “carjaking” junto às portagens de Algueirão. O homem, de 49 anos, ainda foi levado para o Hospital S. Francisco Xavier, mas acabou por morrer.

A A16 chegou a estar cortada nos dois sentidos entre o Telhal e o Lourel numa extensão que ronda os cinco quilómetros porque estiveram em curso várias diligências policiais.

Juntando informações apuradas junto de várias forças de segurança e de socorro, a Renascença sabe que tudo começou por volta das 15h00, quando um grupo de homens encapuzados e armados assaltaram uma carrinha de transporte de valores que se encontrava junto a um hipermercado em Lourel.

O assalto foi bem-sucedido, uma vez que os assaltantes conseguiram levar uma quantia para já não quantificada.

Segundo testemunhas oculares, o grupo seria composto por um número entre os quatro e os sete homens.

A fuga automóvel fez-se pela A16 e foi nas portagens de Algueirão que tentaram mudar de viatura fazendo o “carjacking” fatal.

O grupo continua em fuga sendo que o caso já está entregue à Policia Judiciária.

[actualizado às 20h08]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Bela
    29 fev, 2016 Coimbra 23:23
    Lá vão as 'desgraçadas' das autoridades procurar e andarem a dar a cara, para apanhar criminosos, que depois, se chegarem aos tribunais, há-de aparecer um juiz/juíza a mandá-los para casa com apresentações. Porque coitadinhos são vitimas do sistema...
  • Pinto
    29 fev, 2016 Custoias 00:21
    Agora digam-me se não havia de haver pena capital, mata-se gratuitamente, tira-se uma vida e essa gente merece viver? Depois de presos ainda vão viver à nossa custa.