A+ / A-

Rui Moreira: “Não queremos vender o Porto como a cidade do fumeiro e do galo de Barcelos"

20 out, 2015 - 16:34 • Henrique Cunha

Autarca anunciou perante a vereação que vai pedir para que se retire a marca Porto da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal.
A+ / A-

Rui Moreira quer o Porto fora do nome da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal. “Não queremos vender o Porto como a cidade do fumeiro e do galo de Barcelos”, disse o presidente da Câmara do Porto na reunião da autarquia desta terça-feira.

O autarca anunciou perante a vereação que vai pedir para que se retire a marca Porto daquela entidade, que surgiu no âmbito do novo regime jurídico que prevê a divisão de Portugal Continental em cinco áreas regionais de turismo.

“Da forma como promove o Porto em termos da atracção turística não nos interessa”, afirmou Rui Moreira na reunião de câmara. “Não queremos vender o Porto como uma cidade do fumeiro e do galo de Barcelos."

O autarca assume uma “visão contrastante" em relação à entidade regional de turismo. “É uma visão política do presidente da câmara”, admitiu.

Rui Moreira rejeita ver o Porto associado ao que diz ser o “Portugal bucólico” promovido pela entidade regional de turismo. “Não é essa a imagem que se identifica com o que os nossos cidadãos pensam da sua cidade e com a forma como aqueles que nos visitam olham a cidade.”

“O Porto não se integra nessa visão. O que temos, acima de tudo, é uma visão estratégia diferente, se calhar até complementar. Se calhar, até é bom termos uma entidade que promove o Portugal bucólico e uma entidade que promove aquilo que a cidade quer ser, que é uma cidade mais vibrante, mais virada para a cultura, mais virada para os jovens e mais virada para ser um destino contemporâneo.”

Contactada pela Renascença, a Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal não quis comentar as declarações de Rui Moreira.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria Fernanda
    24 out, 2015 Barcelos 22:43
    Este esticadinho que já andou ao colo do CDS , vem agora desvalorizar todo o Norte como se o Norte fosse somente o Porto e seu clube.Saiba que o Porto(cidade)é um corredor de passagem para Minho e Trás os Montes,principalmente, e por isso não é só a cidade do Porto que impões regras ás outras regiões que actualmente atraiem tanto estrangeiro ou Português como o Porto(cidade) .Por isso Sr. Esticadinho e com a basófia que sustenta nos seus procedimentos,seja contido e respeite o Norte como um todo que só tem a ganhar.
  • maria
    22 out, 2015 Porto 18:08
    Mas será que todos os Rui que se sentam na Câmara do Porto se passam?O Rui Rio deu cabo da Avenida este Rui quer dar cabo das tradições.Dois loucos que não sabem o que são tradições e costumes. Há que perdoar porque não sabem o que fazem
  • L. Almeida
    21 out, 2015 Porto 20:22
    É verdade que a cidade do Porto em turismo cresceu muito nos 5 anos, melhor e mais atualizada oferta para todos os visitantes...Sr. Presidente, promova a cidade com uma estratégia contemporânea...mas não se esqueça, e não se desligue nunca da ancestral visibilidade da do nosso GRANDE NORTE...
  • Abelhon
    21 out, 2015 La Raia 10:16
    Fugiu la palabra pa la lhaganha, qual amproado manhoso cun aires de sabechon mirando l mundo d'hoije cun espantadeiras. Mas mesmo assi, bondarie ancarar al pa riba i çcobririe quein son las pessonas que eilhi bíben i dan bida a la cidade.
  • monteiro costa
    20 out, 2015 vila real 20:35
    mais um pra frente portugal.MANDA AS CAVES DO VINHO DO PORTO PRA REGIAO DE ORIGEM MAIS PASSEIOS NO DOURO inflismente temos politicos asim somamma
  • Jose alexandre
    20 out, 2015 Barcelos 20:22
    Mais uma vez se constata o sentido nacional que este "senhores do Norte" teem. O tal Norte que tanto convem para atacar Lisboa e o seu centralismo, hoje nao importa. O que importa é o Porto e o seu umbigo. O que o Porto sempre fez em relaçao ao Norte, nao é mais do que aquilo que Lisboa faz em relaçao ao resto do pais. Estes senhores so falam na regionalizaçao para poderem implantar um estado de interesses particulares. Um abraço de um Nortenho sem interesses particulares.
  • José oliveira
    20 out, 2015 Vila nova de gaia 20:18
    Este presidente da câmara acordou com febre alta e depois faz este tipo de comentário é impossível dissociar o Porto do Norte o Porto é do Norte e o norte é do Porto somos todos
  • Margarida Gonçalves
    20 out, 2015 Vila Pouca de Aguiar 19:31
    Faço-lhe um desafio, Sr. Presidente da Câmara Municipal do Porto. Exija que o nome e a imagem do Vinho do "Porto", não esteja associada à imagem da cidade do Porto. Já esqueceu que o Vinho do "Porto" é produzido em Trás-os-Montes e no Alto Douro, na Régua, Murça, Alijó, São João da Pesqueira, Santa Marta de Penaguião, Murça e outros concelhos, ou será produzido no Porto cidade? Mas disso o Sr. não quer ouvir falar e não lhe agrada a ideia. O vinho do "Porto" que os transmontanos e durienses produzem, é ainda hoje, o produto português mais conhecido no estrangeiro. É muito inconveniente esta verdade.
  • Paulo Moreira
    20 out, 2015 Murça 19:00
    Mas em contrapartida o Sr. Rui Moreira quer manter o nome da cidade do Porto ligado ao Vinho do Porto, não é verdade? Lembro-lhe uma verdade inconveniente, a cidade do Porto ficou conhecida internacionalmente, desde há 250 anos, graças ao vinho que a região do Douro e Trás-os-Montes produz, porque esse produto, de Porto apenas tem o nome, são os durienses e transmontanos dos distritos de Vila Real, Viseu e Guarda que esfolam as mãos e dobram as costas nos vinhedos do Douro, não são os portuenses. Só muito recentemente, nos últimos 25 anos, a cidade do Porto ficou conhecida no estrangeiro pelo futebol. Não concorda comigo? O Sr. Rui Moreira come a carne mas não quer os ossos, embora também goste de encher a barriga com as verdadeiras e autênticas alheiras caseiras transmontanas. Há uma coisa que muitos transmontanos já entenderam, o Porto fala muito do Norte, mas são tudo palavras ocas. Se um dia se fizer a regionalização do país e se se criar a tal região administrativa do Norte, o Terreiro do Paço vai ser transferido de Lisboa para o Porto. Até agora os transmontanos queixam-se de Lisboa, no futuro queixar-se-ão do Porto.
  • jose
    20 out, 2015 viana do castelo 18:58
    Já não era sem tempo a retirada do nome da ERTN da designação Porto. ou será que o Porto não é Norte.