A+ / A-

EUA. Congressista detido por abuso de informação privilegiada

08 ago, 2018 - 18:52

Em causa um negócio de Chris Collins com uma empresa australiana.
A+ / A-

O congressista republicano do estado norte-americano de Nova Iorque, Chris Collins, foi detido esta quarta-feira sob a acusação de abuso de informação privilegiada nos seus investimentos numa empresa biotecnológica australiana, indicou a polícia nova-iorquina.

Collins, o seu filho Cameron e Stephen Zarsky, pai da namorada de Cameron, estão alegadamente envolvidos no uso de informação privilegiada relacionada com títulos da empresa australiana Innate Immunotherapeutics, a cujo conselho de administração o político republicano pertenceu.

O procurador federal para o distrito sul de Nova Iorque, Geoffrey Berman, indicou, em comunicado, que anunciará nas próximas horas as acusações contra Collins numa conferência de imprensa.

Todos poderão ser acusados de cometer fraude de valores mobiliários, fraude eletrónica, conspiração para cometer fraude eletrónica e fazer declarações falsas ao FBI.

As atividades que tinha nessa empresa o republicano detido, que foi o primeiro congressista a apoiar, em 2016, a candidatura às presidenciais do atual Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, estavam a ser investigadas pelo Gabinete de Ética do Congresso norte-americano, noticiou o jornal ‘online’ Politico.

Collins terá fornecido informação ao filho que, por sua vez, a passou a Zarsky, assim evitando perdas estimadas em cerca de 768.000 dólares (660 mil euros), segundo o ministério público.

De acordo com a mesma publicação, os advogados do congressista republicano afirmaram que responderão nos tribunais às acusações feitas ao seu cliente e que apresentarão “uma defesa forte para limpar o seu bom nome”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    08 ago, 2018 19:04
    Tinha que ser do partido republicano. O partido republicano é uma ameaça à humanidade maior que a Al Qaeda ou o Daesh.