O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
80ª Volta a Portugal em Bicicleta

Quem vai vencer a Volta? A Renascença apresenta os principais candidatos

31 jul, 2018 - 10:00 • Carlos Dias , José Pedro Pinto e Pedro Filipe Silva

Dois da W52-FC Porto e um do Sporting-Tavira apontam a vestir de amarelo no final do contrarrelógio de Fafe, na última etapa. Conheça-os.
A+ / A-
Onde se decide o vencedor da Volta a Portugal?
Onde se decide o vencedor da Volta a Portugal?

RAÚL ALARCÓN (W52-FC PORTO)
Pedro Filipe Silva
(Jornalista, enviado da Renascença à 80ª Volta a Portugal em bicicleta)

Se no ano passado Raúl Alarcón chegava à Volta a Portugal como a segunda figura da W52-FC Porto, atrás de Gustavo Veloso, este ano a história é bem diferente. Raúl Alarcón é claramente um dos favoritos por ter vencido a Volta 2017. Por isto, mas não só, alinha na máxima força. Apesar de uma lesão no início da época, o espanhol foi dos mais regulares. A confiança aumentou ainda ao vencer o Grande Prémio Nacional 2, a última competição antes da Volta. Não esquecer que é preciso conjugar tudo isto com uma W52-FC Porto difícil de combater e que ajudará Alarcón a repetir a vitória.



GUSTAVO VELOSO (W52-FC PORTO)
Carlos Dias
(Jornalista, editor Bola Branca)

Será que aos 38 anos, Gustavo Veloso vai a tempo de conquistar a sua terceira vitória na Volta? Depois dos triunfos em 2014 e 2015, estava escrito que a valia do corredor galego aliada ao forte conjunto da W52, garantiam o primeiro lugar nos anos seguintes, mas a estrada tem uma lei própria. A equipa ganhou, mas Rui Vinhas e Raul Alarcón trocaram as voltas a Gustavo Veloso, que aparece este ano como uma reserva moral da equipa azul e branca. Não são muitos os que o colocam no lote dos candidatos, mas a estrada, a tal que dita as suas leis, pode ser a sua grande aliada. O galego continua a ser um dos melhores corredores do pelotão nacional e a sua qualidade e inteligência não podem ser menosprezadas.



JONI BRANDÃO (SPORTING-TAVIRA)
José Pedro Pinto
(Jornalista)


Chegou a hora de Joni Brandão. Depois da ausência do ano passado, depois de um sensacional segundo lugar na Volta de 2015, o corredor natural de Travanca é o chefe de fila do Sporting-Tavira e um dos grandes candidatos a concluir o contrarrelógio final de Fafe vestido de amarelo. A prestação interessante no Troféu Joaquim Agostinho (terceiro classificado) deixou água na boca para um Joni Brandão que entrará na principal prova velocipédica nacional na liderança do ranking da Associação Portuguesa de Ciclistas Profissionais, a par de Domingos Gonçalves, da Rádio Popular-Boavista. Com a Volta a decidir-se tradicionalmente para o lado dos mais fortes a atacar no alto, cabe ao "trepador" leonino confirmar os pergaminhos de classe que tem vindo a evidenciar.



Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.