A+ / A-

Sé do Porto com casa cheia em dia de ordenações

08 jul, 2018 - 22:03

A cerimónia de ordenação sacerdotal realizou-se esta tarde na Sé do Porto. Há agora mais 4 sacerdotes e 1 diácono.
A+ / A-

A Sé do Porto encheu-se de leigos em dia de Ordenações. Há agora mais 4 padres (Ariosto Nascimento, Celestin Bizimenyera, Pedro Sousa e Vasco Soeiro) e um diácono (Alfredo Júnior). A cerimónia realizou-se este domingo, pelas 16:00h e foi presidida por D. Manuel Linda, bispo da diocese do Porto.

"O povo de Deus vibra com a cerimónia da ordenação porque sabe que precisa dos padres", explica o bispo em declarações à Renascença. "Os leigos têm um papel insubstituível no interior da Igreja, mas isso também não obsta a que os padres sejam cada vez mais necessários e a conciliação entre as duas vocações - laical e ministerial - é perfeita"

Vasco Soeiro é agora padre diocesano: o primeiro da freguesia da Madalena, em Vila Nova de Gaia. "Foi uma alegria para a minha terra e também para mim. Sem eles não tinha chegado ao dia de hoje".

Pedro Sousa entrou "desde pequenino" para o seminário e, foi por volta dos 18 anos, que percebeu que o sacerdócio fazia parte do seu caminho. "Ser padre significa ser uma dádiva para os outros. É ter a possibilidade de ajudar os outros a fazer este caminho de aproximação deste Pai que é Amor", sublinha. Para Pedro, este foi um dia muito especial: "Espero que este dia seja tão marcante que me faça todos os dias relembrar o que sou".

Alfredo Júnior é moçambicano e pertence à Sociedade Missionária da Boa Nova. "Ser ordenado diácono é a concretização de um caminho e o começo do outro porque nós não somos formados para permanecermos seminaristas, mas para nos consagrarmos e partirmos em missão. Quando chega um dia destes é um dia feliz, porque nos sentimos acolhidos e enviados pela comunidade que nos acolhe"

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.