O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

​Receita fiscal por cobrar ultrapassou os 14 mil milhões em 2017

02 jul, 2018 - 21:03

Valor aumentou 583 milhões de euros em relação ao ano anterior.
A+ / A-

A receita fiscal que ficou por cobrar no ano passado atingiu os 14,34 mil milhões de euros, representando mais 583 milhões (4,2%) do que no ano anterior, revela a Conta Geral do Estado (CGE) publicada esta segunda-feira pela Direção-Geral do Orçamento.

De acordo com os dados, o valor mais elevado da receita por cobrar em 31 de dezembro era relativo ao IVA, com um montante de 5,57 mil milhões de euros, seguida do valor referente ao IRC, com 4,41 mil milhões de euros.

Já a dívida acumulada que ficou por cobrar relativa ao IRS ascendeu a 3,29 mil milhões de euros no final de 2017, tendo crescido 3% face ao mesmo período do ano anterior.

"O acréscimo generalizado dos saldos de liquidação das receitas fiscais no decorrer de 2017 pode ser explicado pelo menor nível de dívida prescrita em 2017 face a 2016, pelo Programa Especial de Redução do Endividamento ao Estado (PERES), que ocorreu em 2016, e pelas receitas que ficaram por cobrar de adicional ao IMI, que surgiu com o OE2017", pode ler-se na CGE.

A receita fiscal atingiu no ano passado 42,9 mil milhões de euros, um acréscimo de 4,4% face ao ano anterior.

O valor das dívidas fiscais prescritas no ano passado caiu 31,1% face ao ano anterior, atingindo 434,7 milhões de euros.

A receita arrecadada através da cobrança coerciva em 2017 foi de 845,4 milhões de euros, uma redução de 33,1% face ao ano anterior.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José J. Cruz Pinto
    03 jul, 2018 ILHAVO 06:51
    14 Mil Milhões por Ano !! Nem sequer é preciso apostar que são estes figurões os que mais se queixam do aludido "enorme aumento de impostos". Não os pagam, mas acham que pagam muito, quando nós (que pagamos os nossos) é que acabamos por também pagar os deles. Pelo menos alguns desses mesmos figurões (e não poucos) são também dos que mais se queixam das falhas e deficiências de muitos serviços públicos (a que faltam os 14 mil milhões (mais o que por acréscimo se rouba com a actividade informal) - escola e saúde pública, etc. - mesmo que, por contraste com a generalidade dos portugueses, não sejam dos que daqueles serviços mais necessitam. Como é que continua a não ser possível fazê-los pagar o que devem até ao último cêntimo, e com juros ?