A+ / A-

Os casacos 100% reciclados "made in Covilhã" que já foram à Semana da Moda de Berlim

25 jun, 2018 - 12:45 • Liliana Carona

Cristiana Costa trocou Lisboa pela Covilhã para se lançar no mundo da roupa reciclada. Projeto já lhe valeu uma menção honrosa da Yves Rocher e o prémio Startup Voucher do IAPMEI.
A+ / A-

É no atelier de costura que Cristiana Costa, de 23 anos, dá azo à imaginação e criatividade que a fez trocar Lisboa pela Covilhã.

Há dois anos, quando terminou o curso de Design de Moda na Universidade da Beira Interior (UBI), decidiu criar a Näz, uma marca de roupa feminina sustentável. Fez um investimento de 6 mil euros em maquinaria e não está arrependida, até porque já exporta para vários países.

“Foi um projeto dentro do meu mestrado. Com o apoio da universidade e com toda a história têxtil quis desenvolver o projeto cá. Já estive na semana da Moda em Berlim e já temos as nossas coleções em 25 lojas, na Bélgica, Holanda, Alemanha, Áustria, Suíça, Alemanha, França”, realça a jovem empreendedora, que não se queixa das vendas.

De momento, a Näz - Moda sustentável dá trabalho a três pessoas, com impacto ambiental reduzido. A marca de moda portuguesa propõe peças de vestuário para mulheres que se coadunam com um estilo moderno, mas simultaneamente ético, consciente e responsável. Cria produtos que aliam o design moderno à preocupação ambiental, aproveitando desperdício têxtil e utilizando processos de reciclagem.

Cristiana Costa faz roupa com fibra reciclada. Todos os desperdícios das fábricas são aproveitados. Agora, está decidida a lançar um novo olhar sobre as fábricas da região.

“Não há necessidade de criar nova fibra, trabalhamos com empresas da região que fazem os tecidos a partir de fibras 100% recicláveis, são os desperdícios das fábricas. Em Portugal 15% do tecido é desperdiçado durante o processo de confeção, os forros, por exemplo, também são feitos a partir de desperdício aqui da zona. Os casacos são maioritariamente de lã, são muito quentinhos”, garante.

A estilista tem um sonho e promete não desistir dele. “Quero que seja algo que um típico cidadão consiga chegar, não só vestuário de luxo. Quero democratizar a moda sustentável, um vestuário que seja estético e ético ao mesmo tempo.”

Para já, estes casacos 100% reciclados ainda são um luxo para algumas carteiras. Ainda assim, por 140 euros cada, um destes casacos Made In Covilhã tem uma vantagem sem preço: é amigo do ambiente.

Com o projeto, Cristiana Costa já conquistou uma menção honrosa da Yves Rocher e o prémio Startup Voucher do IAPMEI. Também foi destacada com uma menção especial na 9.ª Edição do Prémio Terre de Femmes. O vídeo promocional do projeto que lhe valeu a distinção pode ser visto aqui.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.