A+ / A-

Bruno de Carvalho pronunciado por ofensa e difamação a Carlos Barbosa

14 jun, 2018 - 14:26

O presidente do Sporting acusou, a 28 de abril de 2016, o antigo vice-presidente do clube leonino de ter recorrido a "estratagemas" para ganhar as eleições do ACP, em 2015.
A+ / A-

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, foi pronunciado pelos crimes de ofensa a honra e difamação ao presidente do Automóvel Club de Portugal (ACP), Carlos Barbosa.

Segundo o comunicado do ACP, em causa estão as declarações do líder leonino, a 28 de abril de 2016, quando acusou o antigo vice-presidente do Sporting, no mandato de Godinho Lopes, antecessor de Bruno, de ter recorrido a "estratagemas" para ganhar as eleições do ACP, em 2015.

"O ACP informa todos os seus sócios que acaba de ser notificado do acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa, de 07 de junho passado, que decidiu pronunciar Bruno de Carvalho, atual presidente do Sporting Clube de Portugal, pelos crimes de ofensa a honra a pessoa coletiva e de difamação, praticados em abril de 2016, contra o ACP e o seu presidente da direção Carlos Barbosa", lê-se no comunicado.

O ACP acrescenta que o Tribunal da Relação de Lisboa "concluiu" que Bruno "sabia que estas afirmações não eram verdadeiras e que atuou com o intuito de atingir a credibilidade e o prestígio do ACP".

A 28 de abril, Bruno de Carvalho foi confrontado com acusações de Carlos Barbosa, que disse que o atual presidente do Sporting tinha mentido em assembleia geral, sobre a criação de um tribunal arbitral para julgar processos relacionados com antigos dirigentes do clube.

“Como é que uma coisa tão importante como o ACP insiste em ter um presidente como o Carlos Barbosa? É a única contradição e a única mentira que eu vejo, porque quando me candidatei ao Sporting não mandei para os meus associados só um boletim com o meu nome, como ele fez no ACP. Depois, pediu desculpa, mas na altura em que mandou o boletim já 90% tinham votado", atirou Bruno de Carvalho, na altura.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.