O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Excesso de peso e obesidade infantil baixaram entre 2008 e 2016

18 mai, 2018 - 12:53

Dados conhecidos no âmbito do Dia Nacional e Europeu da Obesidade, que se assinala no sábado.
A+ / A-

As prevalências de excesso de peso e obesidade infantil diminuíram entre 2008 e 2016, de acordo com dados do Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA).

Os dados do sistema de vigilância que analisa o estado nutricional infantil (COSI Portugal), divulgados esta sexta-feira a propósito do Dia Nacional e Europeu da Obesidade, que se assinala no sábado, mostram que, neste período, registou-se uma redução de 3,6% de obesidade e de 7,2% do excesso de peso nas crianças entre os seis e os oito anos. Em 2016, 11,7% das crianças portuguesas eram obesas e 30,7% tinham excesso de peso.

Em declarações à Renascença, bastonária da Ordem dos Nutricionistas, Alexandra Bento, considera que se está num bom caminho, mas é necessário fazer muito mais. “O objetivo é a redução continua do excesso de peso e da obesidade nas nossas crianças incutindo-lhes bons hábitos alimentares, e um estilo de vida que seja adequado para uma perfeita saúde no presente e no futuro”, argumenta.

De acordo com um estudo que envolveu 6.745 crianças de 230 escolas do 1.º ciclo de todo o país, a obesidade infantil foi mais prevalente nas crianças com oito anos (13,9%) e na região norte do país (33,9%), na Madeira (31,6%) e nos Açores (31%).

O Algarve foi a região com menor prevalência de obesidade infantil (21,1%).

O estudo indica que os rapazes tinham uma maior prevalência de obesidade (12,6%) do que as raparigas (10,9%), enquanto as raparigas tinham uma maior prevalência de excesso de peso (31,6%), contra 29,8% dos rapazes.

Analisando os hábitos alimentares, o estudo verificou que as crianças consomem diariamente fruta (63,3%), sopa (56,6%), legumes (37,7%), carne (17,3%) e peixe (9,8%).

A maioria (88,7%) das crianças consome até três vezes por semana pizas, batatas fritas, hambúrgueres, enchidos, 86,8% comem rebuçados, gomas ou chocolate, 83,3% batatas fritas de pacote, folhados e pipocas, 75,1% biscoitos, bolachas doces, bolos e donuts e 65,3% refrigerantes açucarados.

Dois terços das crianças praticavam atividade física três ou mais horas por dia durante o fim de semana e 76,6% eram transportados de automóvel para a escola.

Analisando os comportamentos sedentários, o estudo revelou que 54% jogavam jogos eletrónicos uma a duas horas por dia durante o fim de semana e 75,5% uma a duas horas por dia durante a semana.

O COSI Portugal está integrado no sistema europeu de vigilância nutricional infantil, no qual participam 40 países da Região Europeia da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.