O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Fernando Santos escolheu. Conheça os 23 convocados para o Mundial

17 mai, 2018 - 17:45

Apresentamos o perfil dos 23 convocados do selecionador nacional para o Mundial da Rússia.
A+ / A-

Fernando Santos anunciou a lista dos 23 jogadores que vai levar ao Mundial da Rússia. O selecionador cortou 12 a uma lista inicial de 35 convocados.

Havia jogadores com lugar assegurado, como Cristiano Ronaldo, e a certeza de que os guarda-redes estavam escolhidos. Fernando Santos tinha pré-selecionado Patrício, Anthony Lopes e Beto.

Subsistiamm, contudo, algumas dúvidas. Fábio Coentrão retirou-se da corrida e Antunes, Mário Rui e Raphael Guerreiro estavam na luta pela posição de lateral-esquerdo. Pelo lado direito, corriam Ricardo, Cédric, Cancelo e Nélson Semedo. Fernando Santos surpreendeu ao chamar Cédric e Ricardo para a direita, e Guerreiro e Mário Rui para a esquerda.

Um dos centrais pré-convocados também ficou de fora. Pepe era indiscutível. Fonte, Bruno Alves e Rúben Dias entraram na lista final. No meio-campo, sem Danilo, Rúben Neves parecia ter lugar assegurado ao lado de William, mas Fernando Santos deixou o jovem do Wolverhampton de fora. Manuel Fernandes beneficiou da época aquém do esperado de André Gomes, mas Adrien e João Mário não sofreram o corte pela mesma razão.

Na frente, Nani, Rony Lopes, Paulinho e Éder estavam na fronteira, mas acabaram por ficar de fora. Bernardo Silva, Gonçalo Guedes, Gelson, Quaresma, André Silva e Ronaldo entraram na lista final.

Os jogadores selecionados por Fernando Santos concentram-se a partir de dia 21 de maio, segunda-feira. A estreia dos campeões europeus no Mundial acontece a 15 de junho, em Sochi, frente à Espanha.

Rui Patrício (Guarda-redes, 30 anos)

Chega à Rússia após aquela que foi, provavelmente, a época mais difícil da carreira, num Sporting em ebulição. Titular indiscutível da baliza de um leão que pode abandonar no final da época, é também o número um da hierarquia da Seleção Nacional e tem "montra" apetecível na Rússia. Campeão da Europa em 2016, foi eleito o melhor guarda-redes do Europeu de França.

Anthony Lopes (Guarda-redes, 27 anos)

O luso-francês terá realizado, ao nível coletivo, uma das mais positivas épocas ao serviço do Olympique Lyon, sendo o segundo guarda-redes menos batido da Ligue 1, esta época. Chamado pela segunda vez por Fernando Santos para uma grande competição de seleções, será a "sombra" de Rui Patrício, sempre pronto a assumir a baliza da equipa das quinas.

Beto (Guarda-redes, 36 anos)

Trocou o Sporting pelo futebol turco não para tentar ser titular na Rússia mas para sair da sombra constante de Rui Patrício. Guardião do Goztepe regressa à Seleção após ausência no Euro 2016 e avança para a quarta fase final de uma grande competição de seleções.

Cédric Soares (Lateral-direito, 26 anos)

Não valeu para o susto. Titular de caras num Southampton que esta época o colocou a jogar, sobretudo, como ala, numa tática de três centrais, teve de lutar até à última pela permanência na Premier League. Chega à Rússia "vacinado" contra momentos de maior aperto.

Ricardo Pereira (Lateral-direito, 24 anos)

Figura ímpar e uma das revelações do FC Porto campeão nacional em 2017/18. 44 jogos e o interregno entre o final da época e o arranque do Mundial deixam Ricardo Pereira em "ponto rebuçado", pronto a ser lançado por Fernando Santos.

Mário Rui (Lateral-esquerdo, 26 anos)

O Nápoles pode ter morrido na praia, no que ao "scudetto" diz respeito mas ganhou, em definitivo, o "dono" do lado esquerdo da defesa. Alentejano formado nas escolas do Sporting foi emprestado aos napolitanos pela AS Roma. Clube "celeste" nem pestanejou: já adquiriu o passe de Mário Rui na totalidade, após 29 jogos ao mais alto nível em 2017/18.

Raphael Guerreiro (Lateral-esquerdo, 24 anos)

O Borussia Dortmund entrou em queda-livre, esta época e o luso-francês parece ter sido contagiado. Apenas 15 jogos - com dois golos pelo meio - e acusações de falta de empenho nos treinos mancharam a temporada que servia de rampa de lançamento para o Mundial. Ainda assim, é "dono" do lado esquerdo da defesa da Seleção.

Bruno Alves (Defesa-central, 36 anos)

Depois do Cagliari e na curva descendente da carreira, Bruno Alves voltou a deparar-se com a dura realidade de não discutir títulos. A época abaixo das expectativas do histórico Rangers, na Escócia, reflete isso mesmo. Será o mais velho e o defesa mais experiente da Seleção na Rússia (95 internacionalizações, mais três do que Pepe), à espreita de uma saída de cena digna da realidade competitiva das seleções.

José Fonte (Defesa-central, 34 anos)

Seduzido pelos renminbis do Dalian Yifang, trocou o West Ham pelo futebol chinês em janeiro, já depois de se ter debatido com uma grave lesão que lhe subtraiu o estatuto de titular nos "hammers". Realizou apenas 15 jogos em 2017/18 e encara a última grande chamada para uma competição de seleções.

Pepe (Defesa-central, 35 anos)

Sempre e quando esteja devidamente recuperado dos problemas musculares que evidenciou ao serviço do Besiktas, já nesta segunda metade de época, será o "patrão" da defesa de Fernando Santos na despedida do panorama de seleções. A nível coletivo, a época foi modesta: o campeão Besiktas não foi além do quarto lugar em 2017/18. Época sem títulos, coisa rara na carreira do luso-brasileiro.

Rúben Dias (Defesa-central, 21 anos)

O futuro tem de começar a ganhar "pergaminhos" de Seleção desde já. "Delfim" da formação do Benfica foi lançado às "feras" em época de contenção financeira para os lados da Luz. Segurou as pontas das ausências de Luisão e Jardel, por lesão, ainda que em momentos diferentes e parece rapidamente ter ganho estatuto de titular. Irreverência a roçar os limites já lhe custou alguns alertas. Cabe a Fernando Santos ajudar a moldar ainda mais um "patrão" defensivo em potência.

William Carvalho (Médio-defensivo, 26 anos)

Sem Danilo Pereira, será o médio mais recuado do meio-campo de Fernando Santos. Ao contrário do Euro 2016, não chegará à Rússia alavancado por uma época interessante, individual e coletivamente, devido à crise do Sporting.

Adrien Silva (Médio-centro, 29 anos)

Temporada mais penosa e frustrante da carreira não travaram, ainda assim, uma segunda metade de caminhada bem positiva, ao serviço do Leicester City. Jogador cerebral, cirúrgico a ditar o ritmo do meio-campo, Adrien Silva é escolha não para ser titular mas para entrar em cena e colocar ordem na casa.

João Moutinho (Médio-centro, 31 anos)

Não foi a melhor época ao serviço do Mónaco mas manteve a bitola da regularidade e simplicidade de processos do seu futebol. Motivado pela recente renovação de contrato com os franceses, prepara-se para a última grande competição de seleções da carreira.

Manuel Fernandes (Médio-centro, 32 anos)

Nunca tinha demonstrado tanto, ao nível estatístico e exibicional, para convencer Fernando Santos. Agora que o fez, nem precisa de sair do país onde compete. Acaba de ser campeão russo pelo Lokomotiv Moscovo. Apontou 14 golos em 40 jogos pelos moscovitas. Melhor época de sempre da carreira de Manuel Fernandes.

Bruno Fernandes (Médio-ofensivo, 23 anos)

"Maestro". Simplesmente isto. Elogiado pela globalidade dos treinadores da Primeira Liga e rotulado de jogador mais influente do campeonato. Realizou mais de 50 jogos e apontou mais de 15 golos em 2017/18, época com final amargo para os lados de Alvalade. Tem, tal como Rui Patrício, uma "montra" importante na Rússia, caso queira mesmo abandonar o Sporting.

João Mário (Médio-ofensivo, 23 anos)

Temporada difícil, com perda de confiança do Inter de Milão e empréstimo ao West Ham, clube com o qual andou a lutar pela permanência até bem perto do final da Premier League. Ritmo competitivo suficiente, aliado à qualidade em bruto, tornam-no quase um "must" no onze-tipo da equipa das quinas.

Bernardo Silva (Médio-ofensivo/Extremo, 23 anos)

Chegou, viu, convenceu, venceu. Campeão pelo Mónaco na época passada, tomou-lhe o gosto e, em Inglaterra, foi logo à primeira, sob a égide de Pep Guardiola. Fez 53 jogos, apontou nove golos pelos "citizens" e ainda conquistou a Taça da Liga.

Gonçalo Guedes (Extremo, 21 anos)

Porventura, um dos empréstimos mais acertados na história do futebol e que se prepara para dar lucro a todas as partes envolvidas. O PSG quer muitos milhões, o Valência está disposto a pagar muitos milhões e Guedes vê a carreira retomar o normal curso, depois de meia época de letargia ao serviço dos parisienses, na época passada. Este ano, foi determinante para o regresso dos "che" aos bons velhos tempos. Marcou cinco golos em 37 jogos.

Gelson Martins (Extremo, 23 anos)

Um dos jogadores mais utilizados por Jorge Jesus na inesperadamente conturbada época do Sporting. Vai marcar presença na primeira fase final de uma grande competição de seleções. Empresta "explosão" e "vertigem" à equipa das quinas, sempre e quando necessite de alargar o jogo.

Ricardo Quaresma (Extremo, 34 anos)

Antes da saída de cena da Seleção, o veterano extremo procura um último "suspiro". Não será titular mas continuará a ser a "arma secreta" de Fernando Santos para desbloquear jogos "encravados". Nisso, ao serviço da equipa das quinas, é especialista.

Cristiano Ronaldo (Extremo/Ponta-de-lança, 33 anos)

O único que, ainda antes de qualquer pré-convocatória, já tem lugar assegurado em qualquer lista. A poucos dias de tentar conquistar a quinta Liga dos Campeões da carreira, ainda se debate com uma entorse que, contudo, não deverá beliscar tanto a final da Champions como uma participação ao mais alto nível do Bola de Ouro no Mundial da Rússia. Até porque esta poderá bem ser a despedida de CR7 da Seleção, em fases finais de grandes competições.

André Silva (Ponta-de-lança, 22 anos)

É rotulada como época falhada no AC Milan mas 10 golos ao serviço do sexto classificado da Serie A não são propriamente um mau cartão de visita. Já provou bom entrosamento com Cristiano Ronaldo na frente de ataque da Seleção e é, na realidade, o melhor e mais regular ponta-de-lança português da atualidade.

[atualizado às 20h50 - lista reduzida para os 23 convocados]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.