O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Anselmo Ralph, Rodrigo Leão e GNR no Sol da Caparica

03 mai, 2018 - 08:57

Estão fechados 16 nomes de artistas dos 33 que vão atuar neste festival.
A+ / A-

De 16 a 19 de agosto decorre a 5.ª edição do festival Sol da Caparica. Rodrigo Leão, Sara Tavares, Anselmo Ralph, Linda Martini, GNR, Carminho e Carolina Deslandes integram o cartaz.

Estão fechados 16 nomes de artistas dos 33 que vão atuar neste festival que conta com o apoio da RFM.

Calema, Expensive Soul, o brasileiro Filipe Catto, Frankie Chavez, Jimmy P, Miguel Araújo, Piruka, Virgul e Wet Bed Bang completam os 16 primeiros nomes que irão atuar no festival, anunciou hoje o responsável pela direção artística, António Miguel Guimarães.

Rita Guerra a cantar canções da Disney, como previsto no cartaz de 2017 e que acabou por não se concretizar por motivos de doença, marcará também presença nesta 5.ª edição do Sol da Caparica, que, segundo os promotores, pretende contribuir para a criação da marca “Costa todo o ano”.

“As canções de Maria” é outra das iniciativas do certame direcionadas para crianças com menos de 11 anos, num dia que lhes é especialmente dedicado, o último do festival.

Neste dia, e voltado para o público mais jovem, estrear-se-á um novo projeto para as crianças de Manuel Paulo (ex-Ala dos Namorados) e do letrista João Monge.

Um projeto que, segundo Manuel Paulo, sempre lhe apeteceu fazer e que tem fios condutores “que começam na tenra idade, passam pelo primeiro amor pueril e terminam na ida ao primeiro concerto rock”.

Para cantar estas histórias estará em palco Inês Sousa com outras surpresas ainda por desenhar, segundo o músico. “Grandes poemas pela voz de grandes poetas” é outra das iniciativas deste festival, que faz parte do projeto “Debaixo da Língua”, que vai no quarto ano.

Este ano o “Debaixo da Língua” assume-se em parceria com a Valentim de Carvalho, que está a lançar oito álbuns com poesia de outros tantos autores.

“Poetry Ensemble” – o que dizem os poetas – assim se chama o projeto que envolve Alexandre Cortez (baixo, teclado, programações, direção artística e coordenação do projeto), Filipe Valentim (teclado), Luís Bastos (clarinete, saxofone e guitarra acústica) e Tiago Inuit (guitarra elétrica, teclados e programações), que usarão a matéria-prima dos discos de poesia a editar pela Valentim de Carvalho proporcionando aos espetadores uma viagem pela poesia portuguesa.

A Monstra e o cinema de animação também marcarão presença no festival que, segundo a presidente da Câmara de Almada, já se tornou especial e um “cartão de visita” do concelho.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.