A+ / A-
Jorge Reis

Presidente do Caldas sonha com final frente ao Sporting

17 abr, 2018 - 13:41

Jorge Reis anuncia prémio de 75 mil euros, em caso de apuramento para a final da Taça de Portugal. O Caldas recebe o Aves, esta quarta-feira, depois de ter perdido o primeiro jogo, por 1-0.
A+ / A-

Jorge Reis está confiante. O presidente de Caldas acredita que a sua equipa vai ultrapassar o Aves e marcar presença na final da Taça de Portugal, no Estádio Nacional, em Oeiras. "Isto é um sonho que alimenta toda a gente aqui nas Caldas", diz o dirigente, em entrevista à Renascença.

O sonho de Jorge Reis é ver o Caldas no Jamor a disputar a Taça com o Sporting, que na outra meia-final defronta o FC Porto. "[Prefiro o] Sporting. Há uma esperança enorme de que a equipa consiga chegar ao Jamor e a direção também não foge à regra. Está efetivamente ansiosa que chegue o jogo e que o resultado seja positivo e de chegar ao Jamor", assume.

O presidente do clube do Campeonato de Portugal está consciente de que pela frente o Caldas terá um adversário "com outros argumentos, mas isso não afasta a ambição de estar na final" e o seu prognóstico é de 2-0. Na 1ª mão, na Vila das Aves, o Aves venceu por 1-0. O prémio, caso a equipa se qualifique para a final, é de 75 mil euros, "a dividir por todos", sublinha.

O Campo da Mata, nas Caldas da Rainha, vai encher, com mais de seis mil espetadores, e Jorge Reis deseja que se viva "a festa da Taça". "Independentemente de quem ganhar, que nós esperamos que seja o Caldas mas, se não for, não vem mal ao mundo, que seja um exemplo para o país do que é o futebol, que haja "fair-play" e que seja, efetivamente, uma grande partida de futebol com respeito por todos os intervenientes no jogo", conclui.

O Caldas-Aves, a contar para a 2ª mão das meias-finais da Taça, é esta quarta-feira às 18h30.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.