O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Trump confirma comentador televisivo como conselheiro económico

14 mar, 2018 - 22:38

Larry Kudlow, ex-banqueiro de Wall Street, substitui Gary Cohn.
A+ / A-

O Presidente norte-americano escolheu Larry Kudlow como novo conselheiro económico da Casa Branca, em substituição de Gary Cohn, que se demitiu por discordar da aplicação de tarifas aduaneiras ao alumínio e ao aço, confirmou a Casa Branca.

"Foi oferecido a Larry Kudlow, e ele aceitou, o cargo de conselheiro do Presidente para a Política Económica e diretor do Conselho Económico Nacional", indicou a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, em comunicado.

"Trabalharemos para ter uma transição ordeira e anunciaremos a data em que ele assume formalmente o seu cargo", acrescentou Sanders.

Kudlow, ex-banqueiro de Wall Street e habitual comentador televisivo, é um defensor do livro comércio, pelo que pode distanciar-se da agenda protecionista do chefe de Estado, Donald Trump, embora tenha recentemente assegurado que as tarifas aduaneiras são uma estratégia negocial.

Trump disse na terça-feira que estava a "considerar muito seriamente" a escolha de Kudlow, seu "amigo há muito tempo".

"Não estamos de acordo em tudo, mas neste caso creio que isso é bom, porque quero ouvir uma opinião diferente", assegurou Trump à imprensa na Casa Branca.

"Estamos de acordo na maior parte das coisas, e agora [ele] mudou de opinião sobre as tarifas e acha que podem ser um método de negociação. Estou a renegociar acordos comerciais, e sem tarifas aduaneiras não nos correria nem metade tão bem", acrescentou.

O Presidente norte-americano disse que Kudlow, de 70 anos, "é um homem com muito talento" e que o apoiou "desde logo" na campanha eleitoral de 2016 e que talvez tenha mesmo sido um dos seus "apoios originais" nas primárias republicanas.

Larry Kudlow trabalhou na década de 1980 na Casa Branca durante o primeiro mandato de Ronald Reagan (1981-1985) e foi depois economista-chefe do banco de investimento Bear Stearns, entre 1987 e 1994.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.