O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Porto. Atropelou, fugiu e bateu contra carro da PSP

13 jan, 2018 - 15:25

A vítima do atropelamento foi levada para um hospital através dos meios de socorro, mas a PSP nada adianta sobre o seu estado de saúde.
A+ / A-

Um homem de 55 anos foi detido hoje no Porto por suspeita de atropelamento e fuga, informou a PSP.

Segundo um comunicado divulgado, um agente da PSP de serviço na Avenida dos Aliados, no Porto, verificou que o suspeito se pôs em fuga na sequência de um atropelamento.

Foi iniciada perseguição, com ajuda de um condutor que ali circulava, tendo o suspeito sido detido na rua do Ouro, depois de se ter imobilizado após colisão da sua viatura com uma árvore.

Durante a fuga o homem de 55 anos conduziu de forma perigosa, desobedecendo a várias regras e até a sinais vermelhos e colidiu com uma viatura da polícia que circulava numa rua da cidade.

O condutor e suspeito não estava habilitado para conduzir o veículo em que circulava.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Helder
    15 jan, 2018 Terral 10:28
    Refere o artigo que "O condutor e suspeito não estava habilitado para conduzir o veículo em que circulava." Agora percebo porqur é que há acidentes graves nas estradas... é que afinal existem veículos para os quais não é preciso habilitação! Pois, eu já sabia. Há uma série de veículos aos quais quando surgiram chamamvam-lhes "papa reformas", eram demasiado caros; depois passaram a chamar-se "mata velhos", quem os conduzia morriam de morte natural ao volante; agora chamam-se "bulldozer" porque passam por cima de tudo o que lhes aparece à frente. Também passaram a circular nas nossas estradas uma nova espécie de veiculos, têm duas rodas, são movidos a bifanas, nas descidas andam tanto como um carro, no plano circulam aos ésses e a par uns dos outros a uns estontiantes 10 Km/h, nas subidas têm que ser empurrados pelos condutores e nas rutundas têm prioridade. Não sei qual é o espanto de haver tantos mortos nas estradas.
  • Jorge
    13 jan, 2018 Evora 20:28
    Quando começar a pedir responsabilidades aos políticos pelo falhanço da política de prevenção rodoviária? Está a vista o resultado da lógica de caça à multa em detrimento da prevenção...
  • 13 jan, 2018 19:45
    É mais um para ter uma pena suspensa... Ou pulseira eletrônica....
  • 13 jan, 2018 19:31
    PENA MAXIMA
  • Mario
    13 jan, 2018 Portugal 19:22
    Ha dias que melhor será ficar em casa.....
  • melough
    13 jan, 2018 Faro 18:42
    Nessas circunstancias para além do julgamento e sentença, o condutor devia de imediato ser obrigado a prestar serviços comunitários por um período de 6 meses (serviços esses que o fizessem refletir.) depois ainda teria que sofrer as consequencias decididas pelo Tribunal. só assim se combateria eficazmente contra pessoas mal formadas. Aposto que teríamos cidadãos cumpridores e com civismo a bem (natural) e a mal (induzidos)
  • Baptista
    13 jan, 2018 porto 18:09
    Em tribunal vai levar uma reguada na mão e vai de castigo para casa! Assunto resolvido...
  • Antonio
    13 jan, 2018 Mirandela 17:58
    Por favor expliquem para se perceber. Uma pessoa que não está habilitada para conduzir e mesmo assim pega numa viatura , chama-se condutor ?
  • Pokas
    13 jan, 2018 Lisboa 17:54
    Não estava habilitado a conduzir o veiculo onde circulava?E os outros veículos?Bom, felizmente que não tirou a arma ao PSP, será colocado em liberdade certamente, pelo meretissimo juiz.
  • almeida
    13 jan, 2018 porto 16:56
    E nada vai acontecer. Neste pais da gargalhada se fosse o Senhor Policia a bater já estava preso !