A+ / A-

​Dez suspeitos de posse de engenhos pirotécnicos ficam de fora do dérbi na Luz

03 jan, 2018 - 23:16

Percurso entre o Estádio de Alvalade e a Luz decorreu de forma "pacífica e cívica", não tendo havido registo de incidentes entre adeptos, indica a PSP.
A+ / A-

A PSP informa que dez suspeitos de posse de engenhos pirotécnicos vão ser vistoriados, na sequência da operação em torno do jogo de futebol entre o Benfica e o Sporting, e serão levados a tribunal esta quinta-feira.

Num curto balanço antes do encontro da 16.ª jornada da I Liga, o subintendente da PSP, Pedro Pinho, salientou que o percurso que liga o Estádio de Alvalade ao da Luz decorreu de forma "pacífica e cívica", não tendo havido registo de incidentes entre adeptos.

"Temos registo de algumas deflagrações de pirotecnia. Temos dez suspeitos [de posse de engenhos pirotécnicos] e vamos fazer a peritagem para entender o que é. Confirmando-se que se tratam de facto de artefactos pirotécnicos passarão a cidadãos detidos e serão presentes amanhã [quinta-feira] em tribunal", afirmou.

A operação policial em torno do dérbi lisboeta teve a particularidade de ter incluído na 'caixa de segurança' o presidente do Sporting, Bruno de Carvalho. Uma situação que não causou preocupações acrescidas à PSP, que teve a condicionante de conduzir os adeptos em período de hora de ponta e no momento em que crianças saíam das escolas.

"É um dia de reinício de aulas e que coincide com a freguesia mais populosa de Lisboa, o Lumiar, com o comércio aberto, com os pais a querer chegar às escolas, com os alunos a quererem sair, foi a gestão que tivemos de fazer", concluiu.

O Benfica, terceiro classificado da I Liga, com 36 pontos, recebe hoje, às 21:30 horas, o Sporting, que divide a liderança com o FC Porto, com 39, em jogo da 16.ª jornada da I Liga que é arbitrado por Hugo Miguel, de Lisboa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.