A+ / A-

Rui Vitória e o futuro no Benfica. "Isso é acessório, não me distrai"

08 dez, 2017 - 19:30

Treinador do Benfica "finta" questões sobre a possibilidade de abandonar a Luz caso não alcance o histórico "penta".

A+ / A-
Rui Vitória e o futuro no Benfica. "Isso é acessório, não me distrai"
Rui Vitória e o futuro no Benfica. "Isso é acessório, não me distrai"

Rui Vitória considera que as questões sobre se a sua continuidade no comando técnico do Benfica para lá de Maio de 2018 são meramente "acessórias", preferindo não fazer projecções a longo-prazo mas sim pensar dia a dia, jogo a jogo, semana a semana.

O técnico dos encarnados, esta sexta-feira, durante a antevisão do encontro da jornada 14 da Primeira Liga, diante do "lanterna vermelha" Estoril, "fintou" a pergunta de um dos jornalistas.

"Temos que estar sempre em todas as frentes para ganhar, com uma perspectiva muito clara do que se encontra pela frente. O meu foco é o jogo de amanhã. Sobre isso, nada me derruba ou distrai. Amanhã, será um jogo difícil. Temos de trabalhar dia a dia e vencer as competições e jogos pela frente. O resto é acessório", afirmou Rui Vitória, em conferência de imprensa.

Após a eliminação europeia como a pior equipa portuguesa de sempre na Liga dos Campeões, várias informações foram postas a circular sobre o aumento do grau de exigência da parte do presidente Luís Filipe Vieira. Rui Vitória não viu qualquer mudança na postura do líder.

"O presidente faz o que faz sempre: a exigência está sempre presente. Em todas as provas em que entramos é para fazer o melhor. Para nós, a exigência é permanente e jogo a jogo. Viemos de um jogo de campeonato contra um adversário directo (FC Porto, 0-0), vamos retomar o campeonato e queremos vencer. No final, faremos o balanço. O que o presidente faz, sempre, é que nem precisa de muita conversa. Temos jogadores vencedores e campeões e querem disputar este campeonato até ao limite", comentou o treinador, torcendo o nariz às "teses" segundo as quais o Benfica passa a ter vantagem sobre FC Porto e Sporting na corrida pelo título, devido ao precoce fim da temporada uefeira.

"Não há uma relação directa nessa questão. Nos últimos dois anos, fomos campeões nacionais e fomos até tarde nas competições europeias. Não há uma tese sobre quem está mais pronto. O campeonato tem várias circunstâncias. Prefiro jogar mais e treinar menos. Não há da minha parte qualquer certeza absoluta nessa causa-efeito. Podemos ir buscar aspectos positivos a jogar mais vezes e negativos a jogar menos vezes. A experiência destes últimos dois anos é muito clara sobre isso", salientou.

Ora, no imediato, há essa recepção ao Estoril, que continua a atravessar uma das piores épocas da sua história recente.

"Quando se muda o treinador, muda-se porque eventualmente as coisas não estavam a funcionar. A equipa do Estoril tem qualidade e talento e o Ivo Vieira arrumou a equipa à sua maneira. Tem ideias positivas e tem jogadores jovens e com qualidade que, se os deixarem jogar à vontade, mostram-no. Vamos ter um Estoril difícil mas também o Estoril vai ter dificuldades", completou.

O Benfica-Estoril arranca às 18h15 de sábado, no Estádio da Luz. Jogo com relato na antena da Renascença e acompanhamento ao minuto em rr.sapo.pt.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.