Lisboa já tem uma avenida com o nome de Eusébio

05 jan, 2015

Um troço da Segunda Circular, em frente ao Estádio da Luz, é agora a Avenida Eusébio da Silva Ferreira. Faz esta segunda-feira um ano que faleceu o "Pantera Negra".
Lisboa já tem uma avenida com o nome de Eusébio
Lisboa já tem uma avenida com o nome de Eusébio
Um ano depois da sua morte, Eusébio da Silva Ferreira entrou para a toponímia de Lisboa. Foi inaugurada esta segunda-feira uma avenida com o nome do "Pantera Negra", que vai desde a zona do Estádio da Luz até ao início da IC19. A mudança vai notar-se na correspondência do clube de futebol, uma vez que a morada do Benfica passa a ser a nova avenida.

Eusébio da Silva Ferreira entrou para a toponímia de Lisboa. Foi inaugurada esta segunda-feira, um ano depois da morte do futebolista, uma avenida com o nome do "Pantera Negra".

O nome oficial da Segunda Circular é Avenida General Norton de Matos, avenida que agora foi encurtada. O troço desde a zona do Estádio da Luz até ao início da IC19 é agora a Avenida Eusébio da Silva Ferreira. A mudança vai notar-se na correspondência do clube de futebol, uma vez que a morada do Benfica passa a ser a nova avenida.

"É de grande simbolismo a escolha deste local pois está junto ao sítio onde tantas alegrias viveu e tantas alegrias proporcionou, quer com a camisola do seu clube de sempre, quer com a camisola das quinas ao peito", afirmou o autarca António Costa, na curta cerimónia que se seguiu ao descerramento. O presidente do Sport Lisboa e Benfica, Luís Filipe Vieira, e a viúva e filhas do "Pantera Negra" estiveram também presentes.

Eusébio da Silva Ferreira a 5 de Janeiro de 2014, vítima de paragem cardiorrespiratória.

A Câmara de Lisboa aprovou a 10 de Dezembro desse ano a proposta da criação da avenida com o nome de um dos mais famosos jogadores de futebol portugueses de sempre.

“Além das suas enormes virtudes e conquistas desportivas, também o seu exemplo de humildade e demais qualidades humanas e pessoais, fazem com que a memória do homem Eusébio da Silva Ferreira seja um legado que deixa a todos os portugueses e, em particular, aos munícipes de Lisboa”, lia-se na proposta subscrita por todas as forças políticas com assento na autarquia de Lisboa.