A+ / A-

Prémio para realizador português em Cannes

27 mai, 2017


Pedro Pinho venceu o Prémio da Quinzena dos Realizadores.
"Fábrica de Nada" premiado em Cannes
"Fábrica de Nada" premiado em Cannes

O realizador Pedro Pinho venceu o Prémio FIPRESCI, da Federação Internacional de Críticos de Cinema, pelo filme 'A fábrica de nada', estreado na Quinzena de Realizadores, em Cannes.

'A Fábrica de Nada' teve a primeira exibição na Quinzena dos Realizadores, secção paralela do Festival de Cannes, na quinta-feira, e o anúncio foi feito este sábado, pelo júri, presidido pela crítica Alissa Simon, da Variety norte-americana.

O filme, interpretado por actores e não actores, segue a vida de um grupo de operários que tentam segurar os postos de trabalho, através de uma solução de autogestão colectiva, e evitar, assim, o encerramento de uma fábrica.

O Júri FIPRESCI de Cannes atribui três prémios: dois na Selecção Oficial - um para a Competição e outro para Un Certain Regard - e um terceiro para a Semana da Crítica ou para a Quinzena dos Realizadores. Pedro Pinho venceu o Prémio da Quinzena dos Realizadores.

O realizador afirmou que o prémio atribuído ao filme é uma "notícia excelente" para o cinema português" e uma prova que este tipo de cinema precisa de ser "estimulado e apoiado".

Na opinião de Pedro Pinho, este prémio, além de dar visibilidade à sua película, é uma "notícia excelente para o cinema português e uma prova que este tipo de cinema - que neste momento está sob forte ameaça graças à lei do Cinema, à composição da Secção Especializada do Cinema e do Audiovisual (SECA) e à questão da escolha dos júris da SECA - precisa de ser estimulado e apoiado", porque tem uma "vitalidade enorme".

Considerou também que este reconhecimento internacional obtido em Cannes é "absolutamente excepcional para um país tão pequeno e com tão pouca produção de filmes".

Nas palavras de Pedro Pinho, a ‘A Fábrica de Nada’ é um filme que propõe uma "reflexão crítica sobre o estado do mundo no período vivido nos últimos 5 ou 6 anos em Portugal", sendo, portanto, um "filme eminentemente político".

Questionado sobre projectos para o futuro, o realizador adiantou que está a escrever um argumento que conta finalizar em Junho, estando no horizonte um projecto de longa-metragem e ficção, em que o tema é "uma história de amor". "Outra, mais uma vez", acrescentou.

Os prémios da competição oficial do Festival de Cannes serão conhecidos no domingo, no encerramento do festival.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.