Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

​Taça meio cheia

01 mar, 2017 • Opinião de Ribeiro Cristovão


O outro finalista da Taça de Portugal vai começar a conhecer-se logo à noite. Vitória de Guimarães e Desportivo de Chaves iniciam uma caminhada que vai ser difícil para ambos.

Era favorito à entrada da eliminatória, fortaleceu ainda mais essa condição. Falamos do Benfica que ontem se deslocou à Amoreira para ali defrontar o Estoril Praia no primeiro de dois jogos das meias-finais da Taça de Portugal.

Ganhando pela diferença mínima, é certo, mas ficando agora à espera do mesmo adversário até ao próximo dia 5 de Abril, 36 dias depois, o que não se percebe muito bem, o Benfica parece ter assegurado a sua presença na final marcada para o dia 28 de Maio, também porque passa a dispor da vantagem de defrontar os estorilistas no estádio da Luz.

A equipa de Rui Vitória não realizou uma exibição de grande gabarito mas, sobretudo pelo que conseguiu produzir no segundo tempo, a vantagem com que chegou ao fim do jogo acabou por se justificar.

Apenas se lamenta que o triunfo dos encarnados tenha sido alcançado por força de um golo obtido de forma ilegal, que permitiu ao grego Mitroglou reforçar a sua condição de marcador da noite, o que aliás o confirma como o artilheiro mor do Benfica e o terceiro a nível nacional.

O outro finalista da Taça de Portugal vai começar a conhecer-se logo à noite. Vitória de Guimarães e Desportivo de Chaves iniciam assim no estádio do Fundador uma caminhada que vai ser difícil para ambos, e cujo desfecho é ousado prever desde já.

Há características que recomendam ambos: os vimaranenses têm um histórico interessante na competição, constituem uma equipa de qualidade, e tudo farão para conseguir já hoje um resultado que mais lhes convenha.

Já os transmontanos também têm fortes credenciais: eliminaram já FC Porto e Sporting, estão a passar por um excelente momento, e dispõem de um conjunto que dá garantias.

Tudo aponta, por isso, para que o desafio desta quarta-feira possa, inclusive, bater em termos de qualidade aquele a que ontem nos foi dado assistir no estádio António Coimbra da Mota.

Em tempo fugaz de Taça, o futebol manteve os adeptos entusiasmados. Só é pena que tenhamos a seguir um tão grande hiato, que não se justifica de todo. Talvez seja recomendável que na próxima temporada o calendário possa seguir outro caminho.

Artigos AnterioresRibeiro Cristovão
 

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.