O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Jogos Paralímpicos Rio 2016: Os atletas portugueses

• Direcção de programas


Para além de todas as medalhas, eles são um orgulho para Portugal. Recorde aqui as reportagens e os testemunhos dos atletas, que pôde ouvir ao longo das últimas semanas nos programas da Renascença.

Durante 12 dias mais de 4 mil atletas, de 176 países, vão participar nos Jogos Paralímpicos Rio 2016. 37 desses atletas vão levar a bandeira portuguesa até ao Brasil.

De 7 a 18 de Setembro pode acompanhar a luta dos nossos atletas por um lugar no pódio. São 7 as modalidades em que o nosso país vai estar representado: Judo, tiro, atletismo, natação, boccia, equitação e ciclismo.
Para além de todas as medalhas (e são muitas as que têm trazido para o nosso país), eles são um orgulho para Portugal. “Igualdade, inclusão e excelência desportiva” é o lema dos nossos atletas e #SemPena2016 o mote do movimento – iniciado pelo Comité Paralímpico de Portugal – que quer dar a conhecer o esforço e espírito de superação dos atletas paralímpicos. Um movimento que pretende acabar com o sentimento de pena que muitas vezes se associa a estas nossas estrelas do desporto nacional.

Esta semana, a Renascença dá voz a alguns dos atletas portugueses que estão a caminho dos Jogos Paralímpicos Rio 2016:

Jorge Pina

Prova Rio 2016: Maratona – classe T12
Data de Nascimento: 11 de Janeiro 1976

“Foi o boxe que praticava que lhe provocou a cegueira quase total. Nunca pensou em desistir e dedicou-se à maratona. Participou nos Jogos Paralímpicos de 2008 e 2012 e continua a correr em direção aos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Fundou recentemente a Associação Jorge Pina que se dedica à prática desportiva para jovens com deficiência.”


Prova Rio 2016: 100 metros bruços – classe SB8
Data de Nascimento: 10 de setembro de 1992

“'Benjamim' portuguesa dos Paralímpicos Pequim2008 regressa à competição. A nadadora Joana Calado vai voltar a competir ao mais alto nível.

Joana, que tem uma malformação congénita do braço direito, garantiu que nunca parou de nadar, mas considera que a vida “é feita de momentos” pelo que a ida para Manchester, onde tirou um curso na área da engenharia informática e atualmente trabalha para uma multinacional norte-americana, foi um passo “consciente e ponderado”.
Com a vida académica e profissional “arrumada”, Joana Calado volta a representar Portugal numa segunda presença em Jogos Paralímpicos.

Com 24 anos e com “muito mais maturidade”, Joana admite que o curso de treinadora complementou e mudou a sua visão da natação, e explica que foi ela própria que delineou, com ajuda de algumas pessoas, o seu plano de treinos para voltar às grandes competições.”

Lenine Cunha

Prova Rio 2016: salto em comprimento – classe T20
Data de Nascimento: 4 de Dezembro 1982


“Chama a si próprio o "atleta paralímpico mais medalhado do mundo" e a verdade é que tem mais de 170 medalhas conquistadas em competições internacionais. Desde Campeonatos da Europa, a Campeonatos do Mundo e Jogos Paralímpicos, pode-se encontrar uma medalha na sua vitrine para todas as competições em que participou. Compete em várias especialidades mas é no salto em comprimento que tem a medalha especial, o bronze nos Jogos Paralímpicos Londres 2012. A meningite que sofreu aos 4 anos e que lhe deixou sequelas para toda a vida a nível intelectual nunca foi impeditivo para que Lenny, como gosta de ser chamado, tenha já escrito a sua página na história do desporto nacional.”

David Grachat

Provas Rio 2016: 50 metros livres, 100 metros livres, 400 metros livres – classe S9
Data de nascimento: 21 de Janeiro de 1987

“David Grachat vai, pela terceira vez, participar nos Jogos Paralímpicos, em 2016. O “passaporte” para o Rio de Janeiro foi adquirido nos 50 e 400 livres, durante a sua participação no British Para-Swimming International Meet, em Glasgow.

David Grachat treina 11 vezes por semana, todos os dias de manhã e de tarde e ao sábado de manhã. “Entre treinos de água e ginásio, são cinco horas por dia, tendo de conciliar tudo com a universidade. Muitas vezes saio de casa às 6h00 e chego às 21h00”, revela o atleta, que desde muito cedo começou a praticar a modalidade: “A ligação à natação surgiu com 2 anos, por indicação médica. Entretanto o amor pela competição foi crescendo, fui conquistando alguns recordes que me fizeram acreditar que poderia ir mais além. Com 15 anos representei Portugal pela primeira vez, desde então nunca mais deixei de ir à seleção, sempre nas maiores e melhores competições europeias, mundiais e a mais importante que são os Jogos Paralímpicos. Tem sido um caminho longo sem muita turbulência”, diz o nadador luso."

Nelson Lopes

Provas Rio 2016: 50 metros costas, 200 metros livres – classe S4
Data de Nascimento: 16 de Março de 1978

“A natação entrou na minha vida para me ajudar a recuperar fisicamente da doença que tive. Comecei ainda não completara 2 anos. Tive poliomielite aos 13 ou 14 meses. É uma doença que afecta o sistema nervoso central, cortando ligações nervosas aos músculos. Fiquei com sequelas e há músculos que não recebem estimulação. Na natação reflecte-se ao nível técnico, não sendo, por vezes, muito perfeito, porque não tenho capacidade muscular suficiente.

Comecei a competir aos 18 anos. Motiva-me superar sempre os meus limites, descobrir até onde sou capaz de ir. É precisa muita energia positiva. Fazer desporto, mesmo sendo portador de deficiência, não é complicado. Saiam de casa! Não têm de fazer desporto só na alta competição, mas façam-no por vós próprios. Pratiquem desporto!”

Esta é a lista dos 37 atletas que vão representar Portugal nos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Torça por eles a partir de 7 de Setembro:

Atletismo (17)
- Ana Filipe
- Carina Paim
- Carolina Duarte
- Cristiano Pereira
- Érica Gomes
- Gabriel Macchi
- Graça Fernandes
- Helder Mestre
- Inês Fernandes
- Jorge Pina
- Lenine Cunha
- Luis Gonçalves
- Manuel Mendes
- Mário Trindade
- Miguel Monteiro
- Nuno Alves
- Odete Fiuza

Boccia (10)
- Abílio Valente
- António Marques
- Armando Costa
- Carla Oliveira
- Cristina Gonçalves
- Domingos Vieira
- Fernando Ferreira
- José Macedo
- Mário Peixoto
- Pedro da Clara

Ciclismo (2)
- Luis Costa
- Telmo Pinão

Equitação (1)
- Ana Mota Veiga

Judo (1)
- Miguel Vieira

Natação (5)
- David Carreira
- David Grachat
- Joana Calado
- Nelson Lopes
- Simone Fragoso

Tiro (1)
- Adelino Rocha


Paralímpicos recebem abaixo do salário mínimo
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ana L. Pacheco da Si
    12 set, 2016 uk 20:05
    Qero ser como voces, y espero un dia chegar obrigao por sua participacao.
  • Bernardete
    31 ago, 2016 Funchal 10:58
    Parabéns a todos os participantes Paralímpicos e que tenham BOA SORTE.
  • ana damaceno
    31 ago, 2016 vila niva de gaia 01:19
    Desde já um grande bem haja a RR por esta iniciativa. Pois estes atletas merecem.CConheço grande parte deles pois também já fui atleta nomeadamente atletismo. Sei o que é dar no duro todos os dias seja dia de solnou chuva. Pela manhã e noite e trabalhar ou estudar durante o dia. É um sacrifício bom porque lutamos pelo que gostamos. Crer e poder e nos cremos melhor eles crêem pois já não estou a competir, mas o bichinho fica sempre CA. Fiquei MT orgulhosa das 12 Medalhas que em Junho deste ano nos trouxeram. Ninguém soube ou quase ninguém, mas mais orgulhosa fiquei qd ouvi a "portugusa" pois a nossa atleta Carolina Duarte tinha ganho o Ouro aos 100metros. Foi um misto de emoção, saudade tristeza pois se vi o campeonato europeu tive de o fazer pela sua nternete. O que é de lamentar. Mas sim é Repito tenho muito orgulho, pois os apoios são fracos a descre