Nota de Abertura
A+ / A-

Não vale tudo

26 fev, 2016 • Opinião de Nota de Abertura


O cartaz do Bloco de Esquerda é de mau gosto, previsível e gratuitamente ofensivo.

“Quem não se sente, não é filho de boa gente”, afirma a sabedoria popular, longe da relevância dos conhecimentos académicos, da actualidade dos estudos de marketing ou das estratégias de comunicação.

Por vezes é preciso concretizar o que se sente. Em palavras. Vem isto a propósito da criatividade. Na verdade, a criatividade de alguns, em defesa de poucos, à custa de muitos, pode ser inteligente, inesperada, eficaz. Mas também pode ser de mau gosto, previsível e ofensiva. E tudo o que é ofensivo perde a eficácia.

O cartaz do Bloco de Esquerda, a propósito da adopção por casais do mesmo sexo, revela estas características – de mau gosto, previsível e gratuitamente ofensivo. Por si, já perdeu toda a eficácia.

Se a ele nos referimos é apenas para afirmar que numa sociedade livre e democrática, onde se promove a liberdade religiosa, não vale tudo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António Costa
    29 fev, 2016 Cacém 07:33
    Infelizmente vale...e é com grande tristeza que o digo...porque se continua com os massacres contra cristãos, no "crescente" do Atlântico até à India? Porque quem o faz tem dinheiro para isso. Apenas dinheiro. Muito dinheiro mesmo. O que diríamos a uma pessoa "na linha da frente", como as da "igreja que sofre"? Em Portugal um "cartaz" a "manipular a imagem de Cristo" é mais importante, monopolizou mais as atenções, que as centenas de milhares pessoas que morrem ao vosso lado. Ponham-se no lugar da "Igreja que sofre"..., ou das pessoas que são queimadas vivas no Paquistão.... ou nas crianças xiitas de Damasco ou de Sana'a mortas por bombas e que Nunca aparecem em fotografias....
  • Dinis Silva
    27 fev, 2016 Espinho 14:21
    Há países onde a homossexualidade é pena de morte e nunca vi o Bloco a protestar contra isso. Sem ironia ou brincadeira, juro que não compreendo mesmo como os activistas gays nunca protestaram por aquilo que acontece no Irão, Arábia Saudita etc.... Coerência é o minimo que se exige a um activista e/ou defensor de qualquer ideia Como diz a frase de Millôr Fernandes: "Eu desconfio de todo idealista que lucra com o seu ideal". O Bloco não quer saber dos gays em si, quer é ser o campeão da igualdade e ganhar para si uma imagem de defensor dos "fracos".