Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-
Opinião de Ribeiro Cristovão

O teste final

07 jun, 2018 • Opinião de Ribeiro Cristovão


Fernando Santos vai aproveitar o jogo da Luz para desfazer eventuais dúvidas que ainda povoem a sua mente.

Após dois empates em outros tantos jogos de preparação para o Mundial da Rússia, a selecção comandada por Fernando Santos vai despedir-se hoje à noite no estádio da Luz dos adeptos portugueses defrontando igual formação argelina sob o comando de Rabat Madjer.

Nos desafios anteriores tivemos rostos diferentes dos então escolhidos pelo nosso seleccionador.

No empate a dois golos com a Tunísia ficaram dúvidas de vária ordem que no jogo a seguir frente à Bélgica ficaram muito mais atenuadas.

Teve propósitos claros a escolha da Argélia para o teste final de hoje. Portugal vai ter como adversária a selecção de Marrocos na fase de grupos do Campeonato do Mundo, pelo que tem todo o cabimento ter agora outra formação africana como parceira de exame final.

Fernando Santos vai aproveitar o jogo da Luz para desfazer eventuais dúvidas que ainda povoem a sua mente.

No sector defensivo não são previstas mudanças em relação ao confronto com a Bélgica, (Cedric, Pepe, José Fonte e Rafael Guerreiro), mas o mesmo já não se passa com os outros sectores da equipa.

Porque o regresso de Cristiano Ronaldo, o único indiscutível, provoca mudanças na frente atacante, a curiosidade assenta sobretudo nas opções a fazer pelo sleccionador, embora possamos ficar sem saber quais são de facto as suas ideias para a estreia contra a Espanha, de amanhã a uma semana.

Espera-se, pois, casa cheia logo à noite no estádio da Luz.

Será, sem dúvida, a mais forte manifestação de apoio à selecção das quinas e a confirmação de que todos vamos estar na sua companhia durante todos os dias do Mundial, ainda que à distância.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.