O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Oração da Manhã
A+ / A-

Sexta-feira, 4 de maio de 2018

D. António Couto


Oração da Manhã - 04/05/2018
Oração da Manhã - 04/05/2018
Levanto os meus olhos para os montes:
De onde virá o meu auxílio?
O meu auxílio vem do Senhor,
Que fez o céu e a terra.
Tudo fala de Ti, Senhor!
Tudo tem as marcas das tuas mãos carinhosas.
O dia ao dia entrega o Teu amor.
A noite à noite entrega a tua luz.
E até a minha vida, Senhor, fala de Ti.
Sim, foste Tu que formaste as entranhas do meu corpo,
E me criaste no seio da minha mãe.
Eu Te dou graças, Senhor,
Por me teres feito tão maravilhosamente:
Admiráveis são as Tuas obras!
Quando contemplo os céus,
Obra das tuas mãos,
A lua e as estrelas que lá colocaste,
Quando ponho as mãos em concha,
Para colher a água pura das nascentes,
Quando sigo com os olhos o voo dos pássaros
E o veio das águas de rios e torrentes,
Eu Te louvo, Senhor,
Por tanto amor derramado
Em nós e ao nosso lado,
E antes de nós também,
Quando nos deitaste no ventre de uma mãe.
É assim que aprendo a viver de mãos erguidas,
E de coração levantado e extasiado,
Maravilhado.
Obrigado, Senhor, pelas mães que nos deste,
E que fazem a nossa terra mais celeste!
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.