Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

Ano Novo, vida nova

02 jan, 2018 • Opinião de Ribeiro Cristovão


A vida dos últimos tempos andou muito mais à volta de acusações, suspeições e indícios, do que propriamente do jogo que se desenrolou dentro das quatro linhas.

Terminado um ano que não deixa saudades, provavelmente, no futebol, um dos piores de sempre, eis-nos perante um novo tempo que arrasta consigo enormes desafios.

2017 acaba marcado pelo lamaçal em que o futebol se viu mergulhado e pelas sementes de ódio que foram lançadas nos mais diversos terrenos, mas que não podem frutificar se todos quiserem que entremos definitivamente na grande família europeia.

A vida dos últimos tempos andou muito mais à volta de acusações, suspeições e indícios, do que propriamente do jogo que se desenrolou dentro das quatro linhas.

Quanto aos primeiros aspectos, devemos aguardar pelo trabalho da Justiça que está em curso há algum tempo, desejando que o mesmo se processe com a rapidez cada vez mais conveniente.

Quanto ao jogo em si, independentemente de todas as competições que estão em curso e cujo termo estamos ainda longe de alcançar, nãos se pode perder de vista, neste ano de 2018, a participação da selecção nacional em mais uma fase final de um Campeonato do Mundo, desta feita a disputar na Rússia a partir do próximo mês de Junho.

Até lá, Fernando Santos e a sua equipa têm pela frente tarefas importantes para levar a cabo.

Até chegar aos 23 jogadores aos quais vai ser entregue a incumbência de defender o futebol do actual campeão da Europa, o seleccionador tem um longo caminho a percorrer.

Neste momento pode afirmar-se com inteira propriedade que a matéria abunda.

Oxalá seja possível melhorar ainda mais a qualidade e, sobretudo, chegar ao grande momento da competição mundial sem restrições de qualquer espécie, sobretudo de ordem física ou disciplinar.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Francisco Vasconcelo
    03 jan, 2018 Arganil 09:19
    Habituei-me a ver e ouvir este Senhor Jornalista Desportivo com a profunda convicção de tinha a honestidade intelectual para se colocar acima de qualquer disputa biblística ou outra. Com o recente comentário acerca da suposta viciação de resultados dos jogadores do Rio Ave e que acabou por arrastar o Benfica, fiquei desiludido com a forma pouco séria e desonesta que tratou a questão. Teve frente a todos nós em directo e a cores dois pesos e duas medidas para tratar do mesmo caso. Era a ultima pessoa de quem eu Ouvinte e Telespectador poderia esperar um comentário em duas partes, completamente distintos na sua análise para factos de igual valia. O que para mim sempre foi um interveniente no futebol que considerava como eticamente honesto deixou de o ser. Tenho pena que se prepare para abandonar, definitivamente o jornalismo, pela porta mais pequena. Tenho igualmente pena de ter acreditado nas suas palavras ao longo dos anos.
  • Joao Pedro Faria
    02 jan, 2018 Pena 19:25
    "...do que propriamente do jogo que se desenrolou dentro das quatro linhas" - quem escreve isto, pretende atirar areia pros olhos dos outros, só pode.....Na epoca 2016/2017 no jogo fcp-slb o arbitro anula o segundo golo dos portistas alegando que o jogador azul ajeitou a bola com o braço, quando quem toca primeiro na bola com o braço foi o jogador vermelho; no jogo do slb/scp, na sua area, um jogador vermelho ajeita a bola com as duas mãos, o arbitro nada assinala, jogada essa que deu origem ao golo da vitoria dos encarnados.....; na epoca 2017/2018, portanto ja com videoarbitro, no jogo rio ave/fcp no ultimo lance existiu um penalti tão obvio , que ate na btv tiveram que retirar uns "frames" para ficar dubio, o arbitro nem sequer recorre as novas tecnologias; ou no fim de semana seguinte, no fcp/slb a equipa de arbitragem anula 1 golo perfeitamente legal por fora de jogo quando 1 jogador vermelho dava legalidade a esse lance por mais de tres metros, ou no mesmo jogo, o arbitro "não viu", e o VAR tambem não, uma mão mais que obvia de um jogador vermelho na sua area.... Ou estes factos não ocorreram dentro das "quatro linhas"??? Quando é que este senil e faccioso comentador é afastado destas "lides"??? É que começa a ser penoso e alvo de chacota toda a vez que ele comenta algo a "defender a integridade" do futebol nacional.....
  • Lagarto Pintado
    02 jan, 2018 Alvaláxia 18:36
    Integro, este sim um verdadeiro Sportinguista, porke a grande maioria são "Dragartos"!
  • De Cabeça
    02 jan, 2018 lisboa 10:09
    Um 2017 péssimo, onde insinuações e acusações constantes apenas contribuiram para acicatar ódios entre adeptos, neste caso particular entre adeptos do FCP / SCP contra adeptos SLB. Nada de bom, até porque tudo anda muito longe de ser provado. No futebol jogado tivemos um FCP muito focado e forte, um SCP muito mais bem preparado e deteminado e um SLB a arriscar (pelo 3º ano consecutivo) uma má época, fruto de uma má preparação que dificilmente se explica.