O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Seixas da Costa. Governo faz "graçolas inadmissíveis" com a Grécia

18 mar, 2015 • Raquel Abecasis

Em entrevista à Renascença, o embaixador Seixas da Costa falou também do futuro de Portugal. Governo de bloco central é uma hipótese que não deve ser excluída, diz.
Seixas da Costa. Governo faz "graçolas inadmissíveis" com a Grécia
Seixas da Costa. Governo faz "graçolas inadmissíveis" com a Grécia
O embaixador Seixas da Costa considera que as “graçolas” que o governo Português faz com a Grécia “são um tipo de coisa que não se faz no plano internacional com um país amigo, é insensato e deixa mal o estado Português”. No programa Terça à Noite, da Renascença, Seixas da Costa falou também do futuro de Portugal dizendo um governo de bloco central é uma hipótese que deva ser excluída.
O embaixador Seixas da Costa considera que as "graçolas" que o governo português faz com a Grécia "são um tipo de coisa que não se faz no plano internacional com um país amigo, é insensato e deixa mal o Estado português".

Em entrevista ao programa Terça à Noite, da Renascença, o ex-secretário de Estado dos Assuntos Europeus acusa o Governo de continuar numa atitude como a que transpareceu das imagens que mostram o ministro Vítor Gaspar a falar com o ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble.

"Eu acho que é isso que Portugal continua a fazer. Não necessariamente a seguir aquilo que a Alemanha quer, mas a tentar seguir aquilo que acha que a Alemanha quer", diz.

Numa entrevista em que se mostrou pessimista quanto ao futuro da Grécia no euro, Seixas da Costa falou também do futuro de Portugal dizendo, a propósito de um possível governo de bloco central, que essa não é uma hipótese que deva ser excluída.

Quanto ao papel da Cavaco Silva em negociações pós eleitorais, Seixas da Costa é claro: "O Presidente da Republica já esgotou a meu ver toda a capacidade de influência na determinação do futuro do país".