O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
14 dezembro

Nascentes termais ou caldeirões biotecnológicos?

14 dez, 2014

Nos anos 70 do século passado, a comunidade científica despertava para mais um tesouro na natureza.
Trata-se da descoberta de micróbios que habitam as nascentes termais, onde as águas podem estar tão quentes que chegam a ferver.
Estes micróbios adaptados a esses ambientes, não só nos podem dizer algo sobre a origem da vida como também oferecer um vasto manancial de enzimas, que são proteínas de inestimável valor em aplicações que vão desde a investigação e diagnóstico clínico à produção de detergentes que lavam mais branco!
Estas descobertas, deram um novo fôlego à biotecnologia que começou desde então a trilhar novos e cada vez mais ousados caminhos. Ainda hoje, passados cerca de 40 anos da descoberta dos micróbios termofílicos, como se chamam os que vivem em ambientes quentes, a biotecnologia continua a explorar as suas diversas aplicações!

*Autoria da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa, no Porto.

“Faça-nos perguntas!” aqui questoesbiotecnologia@porto.ucp.pt