O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|

Liga de Bombeiros indignada com novas regras de transporte de doentes

16 mai, 2012 • Liliana Monteiro

“Alertamos os portugueses que isto é um tratamento indigno para as pessoas”, critica o presidente da Liga, Jaime Marta Soares.

A portaria que regulamenta o transporte de doentes não é benéfica nem para quem precisa, nem para os bombeiros, considera Jaime Marta Soares. O presidente da Liga dos Bombeiros diz que o acordo fechado com o Ministério da Saúde foi o possível, mas não o ideal.

O documento, agora publicado em Diário da República, prevê que o transporte de doentes não urgentes seja pago até um máximo de 30 euros quando a pessoa está em tratamento.  Prevê também que o transporte em casos menos graves passe a ser feito por carros particulares, como os táxis.

A Liga dos Bombeiros diz que estas são veículos não habilitados para transportar doentes e deixa o alerta: “Que não seja levar o dístico de transporte de doentes, ter um documento qualquer a dizer que pode transportar doentes, meia dúzia de horas de formação e uma maleta de primeiros socorros e já está habilitada para transportar doentes.”

“Não aceitaremos e alertamos os portugueses que isto é um tratamento indigno para as pessoas que estão doentes. Não sei se chegam à porta do hospital e se os levam às cavalitas ou lá o que fazem – é efectivamente degradante”, critica Jaime Marta Soares.

Segundo as tabelas de preço por quilómetro, passa a ser mais barato procurar esses carros particulares. Jaime Marta Soares prevê um futuro negro para muitas corporações de bombeiros.