|

VIH/sida. Quase metade dos doentes não sabem que estão infectados

21 nov, 2014 • André Rodrigues

A OMS estima que entre 38 e 62 mil pessoas estão infectadas em Portugal, uma das situações mais graves da Europa. Semana Europeia do Teste VIH arrancou esta sexta-feira.

Há entre 25 a 30 mil doentes infectados com o VIH em Portugal. Mas muitos milhares que são portadores do Vírus da Imunodeficiência Humana. Uma realidade que não difere muito da do resto da Europa: entre 30 e 50% dos mais de dois milhões de infectados no espaço europeu não sabem que estão doentes.

Daí a importância de fazer da prevenção, a grande aposta da Semana Europeia do Teste VIH, que arrancou esta sexta-feira. Vinte e seis organizações não-governamentais de Norte a Sul do país associam-se a centros de saúde e hospitais para realizar o rastreio aos interessados.

“Quanto mais cedo se descobre a infecção por HIV, melhor é o prognóstico para o futuro, mas também, do ponto de vista da infecção, as coisas podem ser mais complicadas porque uma pessoa que não está a ser tratada torna-se infecciosa, enquanto que uma pessoa que está a ser tratada não é”, afirma Ricardo Fernandes, director executivo do Grupo Português de Activistas para o Tratamento do VIH/Sida.

Entre 0,5 e 0,9% da população portuguesa é portadora do VIH. De acordo com a mais recente estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS), trata-se de um universo entre os 32 e os 68 mil infectados.

Um intervalo díspar que Ricardo Fernandes equilibra nos “50 a 60 mil portadores”. Um número que “está estabilizado, considerando a generalidade da população portuguesa”, mas que tem registado um crescimento preocupante nos chamados grupos de risco, onde se incluem os toxicodependentes, homossexuais e pessoas dedicadas à prostituição.

“Portugal é, na Europa Ocidental, o segundo país com maior a segunda maior taxa de infecção”, acrescenta Ricardo Fernandes.

O nome da doença é ainda indissociável de um enorme preconceito social. “Razão mais do que suficiente para que muitas pessoas se descuidem porque, simplesmente, não têm a coragem de tentar perceber se estão ou não infectadas”, observa Ricardo Fernando.

É a pensar nesses casos que, a partir desta sexta-feira, o GAT vai distribuir testes gratuitos à população, no âmbito da Semana Europeia do Teste VIH.